O thriller de quase cinco horas que levou Rafael Nadal à vitória no US Open

Apesar de nunca ter jogado anteriormente uma final de Grand Slam, Medvedev foi quem entrou melhor no encontro. No entanto, não foi o suficiente para intimidar Nadal, que venceu assim o seu 19.º título de Grand Slam.

,Esportes
Foto
Reuters/Danielle Parhizkaran

Rafael Nadal sobreviveu a uma luta heróica contra Daniil Medvedev para reclamar uma vitória épica e o quarto título no US Open, no domingo. Com 19 majors, Nadal está, neste momento, a apenas um Grand Slam de igualar o recorde de Roger Federer.

O El País descreve o adversário de Nadal como um “demónio loiro à solta em Nova Iorque”: Medvedev, 23 anos, pisou o court determinado a fazer com que o espanhol “visitasse o inferno”, mas Nadal conseguiu escapar vencendo o moscovita em cinco sets, com os parciais de 7-5, 6-3, 5-7, 4-6 e 6-4. "Foi uma das noites mais emocionantes da minha carreira no ténis. Foi uma final fantástica. Foi um duelo de loucos”, declarou o espanhol no final do encontro. 

Aquela que seria uma final rotineira em Flushing Meadows, acabou por se tornar num thriller de quase cinco horas. Apesar de nunca ter jogado anteriormente uma final de um Grand Slam, Medvedev foi quem entrou melhor no encontro. Nadal, que já havia vencido o torneio em 2010, 2013 e 2017, não se deixou intimidar, deixando o estádio de Arthur Ashe (com lotação esgotada) em pulgas. 

Este foi o segundo encontro entre ambos, após a vitória do espanhol na final do Masters 1000 de Montreal, com Nadal a infligir uma das duas derrotas sofridas pelo russo neste período, por 6-3, 6-0.

Medvedev foi quem entrou melhor no encontro e fez o break no terceiro jogo do set inaugural para ganhar alguma vantagem (2-1). Nadal devolveu de imediato a quebra de serviço.

A igualdade no marcador manteve-se até ao 10.º jogo, quando o espanhol serviu para o 6-5 e dispôs de dois set points no serviço do adversário. Falhou a concretização do primeiro, mas não desperdiçou o segundo e fechou o primeiro parcial por 7-5.

Na segunda partida, depois de quatro pontos de break no quarto jogo, não convertidos, Nadal quebrou o serviço do moscovita no sexto jogo (4-2). Mais confortável no court e no duelo com o adversário, dez anos mais novo, confirmou o seu jogo de serviço e a vantagem, conseguindo fechar a contenda por 6-3.

Obrigado a não perder o terceiro set para prolongar a discussão pelo título, Medvedev continuou a insistir num jogo variado e numa atitude combativa, mas não foi capaz de evitar um ponto de break a favor do maiorquino no quinto jogo e ficou novamente em desvantagem (2-3).

Dotado de um espírito de sobrevivência, em mais uma tentativa para tentar contrariar o favoritismo e superioridade do adversário, o russo, jogador com mais vitórias esta época (50), devolveu o break de imediato (3-3) e passou para a frente, ao confirmar o seu jogo de serviço (4-3).

Ao nono jogo, Nadal teve dois pontos de break e falhou um smash que lhe teria dado o 5-4 e, ao 12.º, foi o russo, já a liderar por 6-5, a dispor de três set points, com um 0-40, e a aproveitar o segundo, fechando o parcial com 7-5. A quarta partida também foi equilibrada e muito disputada, com Medvedev a ter um set poin’ no 10.º jogo, que converteu, para igualar a contenda a dois sets.

No parcial de todas as decisões, o break surgiu ao quinto jogo e no saldo de Rafael Nadal. Recuperada a liderança mais uma vez, o espanhol quebrou novamente o serviço do adversário e adiantou-se para 5-2.

Medvedev não desistiu e quebrou o serviço a Nadal no oitavo jogo, ajudado por uma dupla falta do espanhol, após ser penalizado, pela segunda vez, com violação de tempo.

Com o moscovita – aplaudido por uma multidão que no início da semana o vaiava – a fazer o derradeiro esforço, Nadal mostrou uma vez mais porque é que é um dos nomes maiores deste desporto, e ergueu-se para conquistar o 19.º major e quarto título em Flushing Meadows.

No jogo seguinte, o espanhol teve dois match points, mas Medvedev segurou o seu serviço e reduziu para 5-4. Novamente no serviço, Nadal não desperdiçou, desta vez, a ocasião e, após enfrentar um ponto de break, fez o 6-4 nas vantagens. 

“Quero dar os parabéns ao Rafa. Um título de 19 Grand Slams é algo inacreditável”, elogiou o russo no final da partida.

O tenista de 33 anos tornou-se assim no segundo campeão mais velho do US Open na era profissional, atrás do australiano Ken Rosewall, que tinha 35 anos quando ergueu o título em 1970.

Medvedev chegou à sua primeira final de Grand Slam depois de ter jogado a quatro finais consecutivas. O moscovita é o terceiro tenista a disputar no mesmo ano as finais dos mais importantes torneios que se realizam durante o Verão na América do Norte: Washington (ATP 500), Open do Canadá, Cincinnati (ambos Masters 1000) e Open dos EUA (Grand Slam), juntando-se a Ivan Lendl (1982) e Andre Agassi (1995). Tornar-se no primeiro campeão do Grand Slam nascido na década de 90 é o próximo desafio.

Nadal também estava em maré de sorte: o maiorquino conseguiu dez vitórias consecutivas nos seus últimos cinco eventos.

Graças à quarta vitória no US Open, segundo major conquistado esta temporada, após o 12.º título em Roland Garros, o espanhol aproxima-se do sérvio Novak Djokovic na hierarquia mundial e reacende a luta pelo número um mundial.