<I>Summer Survivors</I>, de Marija Kavtaradze é o filme que abre a secção dedicada à Lituânia
Foto
Summer Survivors, de Marija Kavtaradze é o filme que abre a secção dedicada à Lituânia DR

Mais de 90 filmes da Europa de Leste no Porto: o Beast voltou

O Beast — Festival Internacional de Cinema volta com mais de 90 filmes “que promovem um olhar pelo cinema que se produz, hoje, na Europa de Leste”. A ver em vários cinemas no Porto, de 28 de Setembro a 6 de Outubro.

A terceira edição do Beast — Festival Internacional de Cinema vai levar 90 filmes da Europa do Lesta ao Porto, de 28 de Setembro a 6 de Outubro. Na programação, que “promove um olhar pelo cinema que se produz, hoje, na Europa de Leste”, há espaço ainda para uma secção dedicada a clássicos exibidos em cópias restauradas, um programa para o público infanto-juvenil, oficinas e três competições oficiais.

Organizado pela OKNA, com espaço físico na rua de Cedofeita, o festival vai deambular pelas salas do Cinema Trindade, Cinema Passos Manuel, Casa das Artes e Biblioteca Municipal Almeida Garrett. Os filmes de realizadores do Leste Europeu estão divididos em East Wave, East Doc e ExperimentalEAST: primeiras obras, documentário e filmes experimentais, respectivamente.

Nas principais secções, o mote é encontrar “uma geração de novos realizadores”, pode ler-se em comunicado da organização, com nomes como Petr Fedorov, Iva GOlubovic, Olesya Shigina ou Julia Kushnarenko, entre muitos outros.

Este ano, o cinema da Lituânia terá um foco particular, com um tributo a Jonas Mekas e vários filmes de Aiste Zegulyte, mas há também um ciclo para as relações entre os países anteriormente ligados à União Soviética e as lutas de libertação do continente africano, intitulado Cinegeografia Socialista, mas também outros ligados à realidade virtual, à animação e a filmes queer.

O Cinegeografia Socialista inclui um filme co-produzido em Portugal, o documentário Time of the Leopards, realizado em 1985 por Zirdravko Velimovic em Moçambique, mas também Rostov-Luanda (1997), de Abderrahmane Sissako, ou Tito in Africa (1970).

A Portuguese Abroad ("Portugueses no Estrangeiro”, em tradução livre) é uma secção dedicada a obras de realizadores portugueses a trabalhar fora do país, mostrando seis obras de Rúben Sevivas, Salomé Lamas, Yuri Alves, André Guiomar, Francisco Carvalho e José Pando Lucas.

O programa paralelo, de entrada gratuita, tem como destaque uma conversa com a curadora, investigadora e realizadora Kamila Kuc no café Candelabro, mas também vários debates sobre as ligações entre as duas culturas, masterclasses e oficinas para crianças. A programação completa pode ser completada aqui.