Torne-se perito

Governo mostra “abertura total” para solução para as Convertidas em Braga

Edifício estava previsto para ter casas de renda acessível mas câmara quer que seja polo cultural.

Foto
NELSON GARRIDO

O Governo mostrou nesta quarta-feira “abertura total” para encontrar solução para o antigo convento das Convertidas, em Braga, apontado para receber habitação com rendas acessíveis, garantindo que “não irá contra a pretensão” da autarquia, à qual desagrada aquela hipótese.

Em declarações aos jornalistas, à margem de uma visita ao local, o ministro das Infra-estruturas, Pedro Nuno Santos, deixou garantias que o Governo “não quer ser um problema”, numa referência ao facto de aquele ser um dos imóveis pertencentes ao Estado colocado na lista como tendo possível destino habitação a rendas acessíveis, solução que “desagradou” à autarquia.

“É um edifício com importância histórica e não só para a cidade de Braga, isso é relevante para nós, as preocupações do presidente de câmara também e por isso a nossa abertura total. Nada será feito contra a vontade da Câmara Municipal de Braga, isso é ponto assente, nós não queremos ser um problema mas sim ajudar a encontrar soluções”, afirmou Pedro Nuno Santos.

Em declarações à Lusa, o presidente da autarquia, Ricardo Rio, demonstrou satisfação com a posição assumida pelo Governo: “Temos reservas de que o edifício possa enquadrar os objectivos do programa de adaptação de edifícios públicos à habitação, até pela tipologia do imóvel, uma vez que as alterações que seriam necessárias poderiam mesmo pôr em causa a integridade cultural do edifício, uma relíquia do barroco bracarense”, disse.

O autarca referiu que ficou acordado que a entidade encarregue do estudo de viabilidade dos edifícios do Estado apontados para transformar em habitação de renda acessível, a Fundiestamo, iria fazer um estudo ao edifício.

“Ficou acordado que seriam feitos os estudos pela Fundiestamo, com a avaliação do impacto sobre o edifício, das condições técnicas e financeiras e que depois das duas uma: ou os próprios estudos concluem a inviabilidade do projecto ou, caso isso não aconteça, nada será feito sem que a vontade da autarquia seja tida em conta, o que nos deixou, obviamente, tranquilos”, explicou.

Ricardo Rio explicou que a câmara tem em vista uma solução para o edifício que “está a ser dificultada” pelo facto de envolver vários edifícios de diferentes ministérios: “Temos um programa com fins culturais de instalar ali o arquivo histórico da cidade, o que poria ao serviço da comunidade o local”, referiu.

No entanto, ressalvou, “a câmara não pode avançar com nenhum projecto uma vez que o edifício é propriedade do Ministério da Administração Interna (MAI) e solução proposta também passa pela cedência de troca edifícios entre ministérios o que pode entravar o decorrer do processo disse”.

O antigo edifício das Convertidas chegou a ser pensado para receber a nova pousada da Juventude de Braga, tendo mesmo a autarquia feito a expropriação dos edifícios contíguos, ainda com Mesquita Machado a liderar a autarquia, mas que Ricardo Rio anulou logo no inicio do seu primeiro mandato.

O edifício, estilo barroco, foi feito para instalar “mulheres pecadoras convertidas a Deus”, tendo sido inaugurado em Abril de 1722.

Sugerir correcção