Doze contratos em VRSA e em Olhão

As empresas Tempestade Cerebral e Twin Pixel celebraram, em dois anos, um total de doze contratos por ajuste directo com os municípios de VRSA e Olhão, facturando 244.300 euros. Nenhuma delas teve outros clientes sujeitos ao Código dos Contratos Públicos

Passadiço de Monte Gordo
Foto
Passadiço de Monte Gordo Mario Lopes Pereira

À perplexidade motivada pela contratação de duas empresas para o mesmo serviço, pelo próprio objecto dos dois contratos e sobretudo pelas respostas da Câmara de Vila Real de Santo António ao PÚBLICO acresce o facto de as mesmas terem sido contratadas, entre Setembro de 2016 e Janeiro de 2018, mais cinco vezes pela VRSA – SGU, uma sociedade de gestão urbana pertencente ao município local e liderada pelo presidente da Câmara. No total, do município e da VRSA - SGU, empresa extinta já este Verão devido às suas dívidas de 70 milhões de euros, a Tempestade Cerebral (TC) recebeu naquele período 120.550 euros mais IVA, o que correspondeu a cerca de um terço das suas vendas totais no ano de 2017. A Twin Pixel, por seu lado, auferiu 68.750 euros (85% da sua facturação de 2017). Já com a Câmara de Olhão e com a empresa municipal Ambiolhão, cada uma delas firmou dois contratos, recebendo a primeira 33.000 euros e a segunda 22.000.