Debate entre Costa e Jerónimo seguido por 1,1 milhões de pessoas

O duelo entre o líder do PCP e o do PS marcou o arranque dos debates televisivos. Comparando com as últimas legislativas, houve mais telespectadores, mas em 2015 o primeiro debate foi transmitido por cabo.

António Costa e Jerónimo de Sousa foram os dois primeiros líderes partidários que se enfrentaram na televisão, num encontro com mais elogios e convergências do que ataques
Foto
António Costa e Jerónimo de Sousa foram os dois primeiros líderes partidários que se enfrentaram na televisão, num encontro com mais elogios e convergências do que ataques Miguel Manso

Quase dois milhões de espectadores assistiram nesta segunda-feira ao primeiro debate entre os candidatos às eleições legislativas de 6 de Outubro. O frente-a-frente, transmitido pela SIC, foi protagonizado pelo deputado e líder comunista Jerónimo de Sousa (CDU) e pelo primeiro-ministro António Costa (PS) e teve uma audiência média de 11,6% de pessoas. No total, cerca de 1,1 milhões de telespectadores acompanharam o debate inicial.

De acordo com os dados disponibilizados ao PÚBLICO pela SIC — que transmitiu o “duelo” em simultâneo com a SIC Notícias —, o encontro dos dois líderes políticos registou 24,8% de share (valor comparativo que permite avaliar quais os canais que obtiveram uma preferência em relação aos restantes num mesmo momento) e colocou a estação liderar “no universo dos canais generalistas”.

Os resultados das audiências desta segunda-feira mostram um ligeiro aumento quer no share, quer em termos de rating quando comparados com os resultados das audiências a 26 de Agosto  com base nos dados da GFK, na anterior segunda-feira, o Jornal da Noite registou uma audiência média de 10,8% e um share de 23,4%.

Há quatro anos, o primeiro debate das legislativas — a 1 de Setembro de 2015 — registou uma audiência significativamente menor. Tal como nesta segunda-feira, nesse debate em pré-geringonça” também interveio Jerónimo de Sousa, assim como a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins. 

De acordo com os dados facultados ao PÚBLICO pela RTP, à data, esse combate entre a CDU e o Bloco de Esquerda teve uma audiência média de apenas 1,2% (o equivalente a 115,7 mil telespectadores, longe dos 1,1 milhões desta segunda-feira).

A diferença entre os dois primeiros debates pode ter uma explicação. Ao contrário do debate desta segunda-feira, transmitido também em canal aberto, o encontro entre Jerónimo de Sousa e Catarina Martins foi apenas transmitido na RTP3 (canal de informação).

Se, em alternativa, consideramos o share registado na SIC Notícias nesta segunda-feira (já que o debate também foi emitido no cabo), o valor rondou os 2,4%, o mesmo share registado no debate de 2015 pela RTP3.

Foi justamente contra este formato que a CDU se insurgiu, rejeitando participar em debates que não sejam exibidos em canal aberto e por isso longe do alcance de toda a audiência. Por essa razão, a CDU só estará em quatro debates, sendo o partido com assento parlamentar com menos representação nos debates televisivos.

Quem viu o debate?

Em termos de perfil de telespectadores — e tendo em conta apenas o universo de canais generalistas —, o primeiro debate liderou “em ambos os géneros, em todas as classes sociais, nos indivíduos entre os 15 e os 34 anos e com mais de 45 anos (liderando em termos absolutos nos indivíduos com mais de 65 anos) e nas regiões do Norte, Centro e Lisboa”, acrescenta uma nota enviada ao PÚBLICO.

O debate entre Jerónimo de Sousa e António Costa marcou um arranque “morno”, sem crispação, em que os dois candidatos coincidiram até na escolha da cor da gravata.​ Esta terça-feira, o encontro e é entre Assunção Cristas, líder do CDS, e Catarina Martins, coordenadora do Bloco de Esquerda. É o segundo de 13 debates a dois e será transmitido na RTP3. 

PÚBLICO -
Aumentar

Notícia corrigida: O debate foi visto por 1,1 milhões de espectadores e não 1,98 milhões.