Opinião

Mulher invisível

A forma de sair do buraco não é continuar a ser invisível: é aceitar que a representatividade só existe se não negarmos a cada um de nós a sua visibilidade.

Num dos mais importantes romances norte-americanos do século XX, Homem Invisível, o protagonista é um homem negro que migra do ambiente segregacionista do Sul dos EUA, onde a sua identidade era definida pelo racismo agressivo de todos os dias, para o Norte liberal e bem-intencionado das grandes cidades, onde sente que aquilo que se espera dele é que aja como se não tivesse sido marcado por essa experiência anterior. Daí a sua famosa frase inicial: