Mais de cinco anos depois, a ponte pedonal dos Coches está pronta

Velha ponte começa esta segunda-feira a ser desmontada, o que levará a cortes de trânsito em Belém.

Foto
daniel rocha

Mais de cinco anos depois de ter sido começada, a ponte pedonal do Museu dos Coches, em Belém, abre esta segunda-feira à utilização pública. A velha ponte, que até aqui assegurou a ligação por cima da via-férrea, será desmantelada nas próximas noites, o que levará a cortes de trânsito e a condicionamentos na circulação de comboios.

Apesar de já poder ser usada, os trabalhos na nova ponte ainda não estão completos. “Só após a demolição da ponte velha será possível concluir a empreitada da nova ponte, que compreende, além das rampas, a colocação de uma plataforma elevatória para cadeiras de rodas nas escadas de acesso à estação de comboios no sentido Lisboa/Cascais”, informa a Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) em nota de imprensa.

Ao contrário da antiga, apenas com escadas, a nova estrutura tem rampas de ambos os lados, permitindo assim que pessoas em cadeira de rodas ou com carrinhos de bebés atravessem da Rua da Junqueira para a beira-rio sem obstáculos. Contudo, o acesso à estação de comboios continua a ser feito apenas por escadas, o que levou a DGPC a mandar instalar a tal plataforma elevatória.

Do lado do rio, junto à Avenida Brasília, existirá também um elevador. “Embora já se encontre instalado, só pode entrar em funcionamento após a demolição da estrutura antiga. Assim sendo, será após o desmantelamento da velha travessia que começará a ser construída a rede subterrânea de infra-estruturas necessárias à activação do elevador”, esclarece a DGPC na nota.

Para a desmontagem da ponte antiga o trânsito automóvel estará cortado nas avenidas da Índia e Brasília entre segunda e quarta-feira no período das 22h às 6 horas.

A ponte pedonal dos Coches começou a ser construída ao mesmo tempo que o novo edifício do museu, sob projecto de Paulo Mendes da Rocha e Ricardo Bak Gordon. Os trabalhos pararam abruptamente em 2013 e só foram retomados em 2017, dois anos depois de o museu ter aberto ao público. Em 2016, aquando da abertura do Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), junto à Central Tejo, a velha ponte teve de ser encerrada pela polícia, tal a quantidade de gente que se aglomerou para a atravessar.

Com esta abertura, a zona de Belém passa a ter quatro vias de ligação à zona ribeirinha: três pontes pedonais (Coches, MAAT e Torre de Belém) e um túnel (Padrão dos Descobrimentos). Definitivamente afastado parece estar o velho projecto de enterrar a linha de comboio, criando um contínuo pedonal entre as várias partes do conjunto monumental.