Sondagem: Esquerda conquista 60% dos eleitores

Sondagem da Pitagórica para o Jornal de Notícias e TSF dá um PS “à beira” da maioria aboluta, com 43,6% das intenções de voto. PSD, em perda, fica pelos 20,4%.

Foto
Nelson Garrido

Os partidos que compõem a esquerda parlamentar já valem mais do dobro dos partidos da direita — a conclusão é da sondagem da Pitagórica para o Jornal de Notícias e TSF, conhecida neste sábado.

A pouco mais de um mês das eleições legislativas, esta sondagem aponta para uma vitória tranquila da esquerda, com mais do dobro das intenções de voto da direita. A soma das intenções de voto de PS, Bloco de Esquerda e CDU (PCP e PEV) chega aos 60,2%, com o PS destacado (43,6%) e à beira da maioria absoluta. Bloco de Esquerda conquista 10% das intenções de voto e a coligação entre o Partido Comunista Português e o Partido Ecologista “Os verdes” mantêm-se estável nos 6,6%.

À direita o cenário é de perdas, com PSD a ser o preferido de 20,4% dos eleitores e o CDS com 4,9%. Nas últimas eleições a coligação Portugal à Frente (PSD+CDS) tinha conquistado 38,5% dos votos. Com esta margem a diferença entre os socialistas e os sociais-democratas já chega aos 23,2%.

Nos pequenos partidos destaque para o PAN, que é o preferido de 3,2% dos eleitores, ainda assim em queda ligeira em relação aos 3,6% apontados na última sondagem. Aliança, com 1,5%, e Iniciativa Liberal, com 1.2%, podem vir a entrar na Assembleia da República. 

Mais de metade dos eleitores “nunca votaria” em Rui Rio para PM

Os lideres partidários mais rejeitados são, segundo a Pitagórica, Pedro Santana Lopes (Aliança), Jerónimo de Sousa (CDU) e Assunção Cristas (CDS). O antigo primeiro-ministro chega mesmo a ser rejeitado por cada ter três em cada quatro eleitores. 

Em quatro meses, Rui Rio (PSD) viu o número de portugueses que “jamais” votariam nele para ser líder de um governo subir para 58%. Já António Costa é o líder menos rejeitado, com 42% de eleitores a recursar votar no líder socialista.

As eleições legislativas são a 6 de Outubro de 2019.