Ordem dos Médicos “chumba” curso de Medicina na Universidade Católica

Parecer não é vinculativo e a decisão final, que cabe à agência de avaliação do ensino superior, será tomada entre o final de Setembro e o início de Outubro.

Foto
Nuno Ferreira Santos

Poucas horas de contacto com os doentes, um número de professores insuficiente, problemas na articulação com os hospitais e ainda dúvidas causadas por uma formação que será feita em inglês. Estas são quatro das objecções levantadas pela Ordem dos Médicos (OM) à proposta de criação de um curso de Medicina pela Universidade Católica, num parecer negativo que foi enviado à Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES). É esta entidade pública que tem que tomar a decisão final quanto à autorização de abertura dessa formação nas próximas semanas.