Vespa asiática obriga a fechar jardins da Quinta das Conchas e Quinta dos Lilases em Lisboa

O ninho “foi devidamente eliminado durante a noite” de quinta-feira, mas o jardim só reabre no sábado por questões de segurança.

,Vespão asiático
Foto
Vespa asiática Nelson Garrido

Os jardins da Quinta das Conchas e Quinta dos Lilases, na freguesia do Lumiar, em Lisboa, estão nesta sexta-feira encerrados ao público, depois de sido descoberto um ninho de vespas asiáticas na quinta-feira, anunciou a autarquia.

Numa nota publicada no Facebook, a Câmara Municipal de Lisboa refere que o ninho, descoberto numa das árvores, “foi devidamente eliminado durante a noite” de quinta-feira.

De acordo com o município, os jardins serão reabertos “previsivelmente amanhã [sábado]”, depois de todas as árvores serem verificadas, bem como as condições de segurança.

Na época da Primavera, as vespas asiáticas constroem ninhos de grandes dimensões, preferencialmente em pontos altos e isolados, sendo os principais efeitos da presença desta espécie sentidos na apicultura – por se tratar de uma espécie carnívora e predadora das abelhas – e na saúde pública.

No caso de sentirem os ninhos ameaçados, as vespas asiáticas reagem de modo bastante agressivo e podem fazer perseguições até algumas centenas de metros.

A destruição dos ninhos deve ser feita com equipamento de protecção e seguindo as orientações constantes no plano de acção, nunca se devendo usar armas de fogo (de caça), mesmo no caso de difícil acesso aos ninhos, pois este método só provoca a destruição parcial do ninho e contribui para a dispersão e disseminação da vespa asiática por constituição de novos ninhos. Isto porque, na ausência ou perda da rainha, as obreiras desta espécie têm a capacidade de se transformarem em fêmeas fundadoras e construírem novos ninhos.