A Noite Branca de Braga dura três dias e três noites

No “maior evento cultural de acesso gratuito do país” há mais de uma centena de eventos por toda a cidade. De 6 a 8 de Setembro, é Noite Branca em Braga.

Fotogaleria
Lino Silva
Fotogaleria
Lino Silva
Fotogaleria
André Henriques
Fotogaleria
Lino Silva
Fotogaleria
Lino Silva
Fotogaleria
Lino Silva
Fotogaleria
Hugo Sousa
Fotogaleria
Lino Silva
M. Night Shyamalan
Fotogaleria
André Henriques
M. Night Shyamalan
Fotogaleria
Lino Silva
M. Night Shyamalan
Fotogaleria
André Henriques
Fotogaleria
Lino Silva

Meio milhão de visitantes, mais de uma centena de eventos, todos gratuitos, três dias e três noites da “Noite Branca” de Braga a invadir tudo o que é canto da cidade: praças, ruas, largos, avenidas, museus, universidade, termas… Até nas bibliotecas e na Sé se faz a festa – uma festa que se orgulha de se movimentar no eixo entre “o popular e vanguarda”.

O programa faz-se das mais variadas formas artísticas, entre concertos, animação e cinema de rua, festas, instalações audiovisuais e performances, teatro e circo e dança, decorações especiais dos espaços e, entre muito mais, gastronomia e programação especial para as crianças. 

Um dos grandes destaques passa pela abertura de museus e espaços culturais da cidade durante a noite: Museus D. Diogo de Sousa, Biscainhos, Nogueira da Silva, Sé, Museu Pio XII, Casa dos Crivos, Biblioteca Lúcio Craveiro, Museu da Imagem, Palácio do Raio, Fonte do Ídolo e Termas Romanas. As praças da cidade vão estar ocupadas com várias actividades artísticas: Largo do Paço, Claustros de Santo Amaro, Largo S. João de Souto, Rossio da Sé, Avenida Central, Avenida da Liberdade ou, entre outros, o Largo Carlos Amarante.

Já os palcos principais de concertos estarão na Praça do Município, no Theatro Circo, na avenida Central e no espaço GNRation. No programa, incluem-se nomes como Dino D'SantiagoThe Legendary Tigerman, Capitão Fausto, D'Alva, Sara Tavares, Fogo Fogo, Throes + The ShineGlockenwise ou Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música. 

Braga, que este ano esteve a um passo de ser declarado o destino europeu do ano (sendo só batida em votação pública por Budapeste), quer assim, lê-se no resumo do evento, afirmar-se como “cidade criativa da UNESCO (Media Arts) e como Cidade Europeia da Cultura (Braga Capital Cultural do Eixo Atlântico 2020 & Braga Cidade Candidata a Capital Europeia da Cultura 2027)”.