Combustíveis mantiveram inflação negativa em Agosto

O Índice de Preços no Consumidor fixou-se em -0,1% face ao mesmo mês de 2018. É o segundo mês consecutivo de inflação negativa.

,Ação de greve
Foto
Bruno Lisita

O Índice de Preços no Consumidor (IPC) baixou 0,1% em Agosto face ao período homólogo de 2018, mantendo-se em terreno negativo pelo segundo mês consecutivo. A estimativa rápida divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) mostra que esta evolução deve-se à redução dos preços dos combustíveis, que foi mais significativa em Agosto do que em Julho. 

A variação homologa do IPC foi de -0,1% em Agosto, depois de em Julho se ter fixado em -0,3%. Esta evolução, refere o INE, “deve-se em parte à recuperação dos preços da classe dos restaurantes e hotéis, verificando-se, em sentido contrário, uma redução de preços dos combustíveis mais significativa em Agosto do que no mês anterior”. Este mês foi dominado pela greve dos motoristas de matérias perigosas, que provocou constrangimentos no fornecimento de combustíveis em todo o país.

A inflação sem habitação também se manteve negativa (-0,22%). Porém, quando se tem em conta a média dos últimos 12 meses, a inflação foi de 0,51%.

Já o indicador de inflação subjacente, que exclui os produtos alimentares não transformados e energéticos, terá subido para 0,2% depois de, em Julho, ter estado em terreno negativo (-0,1%), nota o INE. A taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos terá diminuído para 3,5% (em Julho, esta taxa foi -2,8%). 

A variação mensal do IPC terá sido -0,1% (em Julho, o valor era de -1,3% e em Agosto de 2018 tinha sido -0,3%), estimando-se uma variação média nos últimos doze meses de 0,6%, taxa inferior em 0,1 pontos percentuais ao registado no mês anterior.

Os dados agora divulgados são ainda uma estimativa, os valores definitivos do mês de Agosto só serão publicados em Setembro.

Sugerir correcção