Giuseppe Conte vai formar novo Governo e promete “modernizar Itália”

O novo Governo incluir o Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrático, que anunciaram um acordo para a formação de um novo executivo em Itália, na quarta-feira.

Foto
Sergio Mattarella e Giuseppe Conte Reuters

O Presidente italiano, Sergio Mattarella, encarregou esta quinta-feira o primeiro-ministro demissionário Giuseppe Conte de formar um novo Governo, desta vez à frente de uma coligação que inclui o Movimento 5 Estrelas (M5S) e o Partido Democrático (PD). “Será um Governo para modernizar o país e para os cidadãos”, prometeu Conte, que começa imediatamente as consultas para compor o elenco ministerial.

“A perspectiva de formar um novo Governo com uma maioria diferente da anterior suscitou-me muitas dúvidas”, disse Conte, que se demitiu ao ser alvo de uma moção de desconfiança vinda da Liga, partido de extrema-direita liderado por Matteo Salvini, ministro do Interior e vice-primeiro-ministro do anterior executivo. Mas acabou por superar as dúvidas.

O novo executivo deixa de fora Salvini, que viu falhar a sua aposta de forçar eleições antecipadas num momento em que as sondagens o apontam como o político mais popular em Itália e a Liga como o partido à frente nas intenções de votos.

​ O M5S e o PD, no entanto, conseguiram firmar um acordo para a formação de um novo executivo.

A prioridade do novo Governo serão as finanças, disse Conte, e nomeadamente a redacção do Orçamento do Estado, que tem de receber um visto de aprovação pelo Eurogrupo e que tem que estar pronto para ser entregue no Parlamento de Roma e em Bruxelas em meados de Outubro. “Lançaremos mãos à obra imediatamente para fazer um Orçamento que contraste o aumento do IVA com a protecção das poupanças e dê uma sólida perspectiva de crescimento e desenvolvimento social”, afirmou, citado pela agência noticiosa italiana Ansa. Falou de “reformas, de relançamento, de esperança, de oferecer certezas ao país”. 

O jornal económico Il Sole 24 diz que num documento que traça um acordo preliminar da nova coligação está previsto pedir à União Europeia mais flexibilidade na apreciação do Orçamento de 2020 relativamente ao défice para “reforçar a coesão social”, realça a Reuters. Na anterior coligação, com a Liga de Salvini, que culpava as regras europeias pelo empobrecimento dos italianos, a relação com o bloco europeu era tensa.

Os mercados financeiros reagiram bem a um novo Governo liderado por Giuseppe Conte. Apostam numa Itália com um Orçamento prudente, que evite novos confrontos com Bruxelas.

Sugerir correcção