Formadores sem garantia de que ficam no centro de emprego onde trabalham

Concurso para regularizar formadores do IEFP fechou nesta quarta-feira. Há 507 vagas disponíveis e 1199 formadores foram notificados para concorrer.

Foto
Mais de metade dos formadores precários que asseguram funções permanentes ficarão sem lugar no quadro do IEFP Andreia Carvalho

Os formadores a recibos verdes que serão integrados no quadro de pessoal do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) não têm garantia de que se mantêm no centro de emprego onde agora dão formação. O alerta é deixado pela Associação Portuguesa de Formadores (APF) e deve-se ao facto de cada vaga a concurso poder ter mais do que um candidato, uma fórmula diferente da que está a ser usada nos restantes organismos públicos abrangidos pelo Programa de Regularização Extraordinária de Vínculos Precários da Administração Pública (PREVPAP).