Roglic caiu na Vuelta e um rival directo já veste vermelho

Neste domingo, a segunda etapa da Vuelta liga Benidorm a Calpe, num percurso com algumas dificuldades e indicada para uma fuga.

López na Vuelta 2017
Foto
López na Vuelta 2017 LUSA/Javier Lizon

A equipa Jumbo-Visma caiu no contra-relógio colectivo da primeira etapa da Volta a Espanha 2019, naquele que foi o grande destaque do primeiro dia de competição.

Apesar da queda, a equipa de Primoz Roglic – apontado como principal favorito à vitória – conseguiu continuar com cinco corredores (Martin, Gesink e Bennett foram os únicos a não irem ao chão), mas acabou a perder 40 segundos para a Astana de Miguel Ángel López, outros dos favoritos, que inicia a Vuelta vestido de vermelho - camisola do líder da prova. Também a equipa Emirates caiu durante a etapa, sendo visíveis as marcas no corpo do italiano Fabio Aru.

Neste sábado, o “crono” colectivo foi ganho pela Astana, que gastou menos dois segundos do que a Quick-Step e menos cinco do que a Sunweb para fazer os cerca de 13 quilómetros em Torrevieja, na zona costeira do sul de Espanha.

Destaque, ainda, para os 16 segundos perdidos pela Movistar de Nairo Quintana, Alejandro Valverde e Nélson Oliveira e para o último lugar da equipa Burgos BH, que alinhou com os portugueses Nuno Bico e Ricardo Vilela. Ainda em matéria de portugueses, a Caja Rural, de Domingos Gonçalves, perdeu 37 segundos, enquanto a Katusha, de Rúben Guerreiro, perdeu 33s.

Neste domingo, a segunda etapa da Vuelta liga Benidorm a Calpe, num percurso com algumas dificuldades e indicada para uma fuga e para troca de líder.