Câmara de Gaia avança com obras de requalificação na Biblioteca Municipal

Na reunião do executivo desta segunda-feira, a Câmara de Gaia vai apresentar quatro propostas de intervenções no concelho, num investimento total que ronda os 18,3 milhões de euros.

Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias
Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias
Biblioteca Pública
Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias
Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias
Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias
Fotogaleria
Autarquia prevê que a intervenção na Biblioteca Municipal esteja concluída no final de 2020 Gonçalo Dias

A adjudicação da empreitada de requalificação da Biblioteca Municipal de Vila Nova de Gaia vai a votos na primeira reunião de câmara depois das férias, agendada para esta segunda-feira. Com um investimento de 1,1 milhões de euros, a autarquia espera que a intervenção esteja concluída no final de 2020.

Contando também com comparticipação financeira no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, a empreitada implica uma troca de caixilharia, um arranjo do telhado e a actualização do espólio, bem como a criação de uma área dedicada ao fundo local e regional.

O presidente da câmara destacou, em comunicado de imprensa, as intervenções no arquivo e na zona dedicada ao Serviço de Leitura Especial, um núcleo para leitores invisuais. “Neste momento, está num local que não se coaduna com a importância do trabalho que faz. É o melhor núcleo deste género em bibliotecas públicas. Vamos relocalizá-lo”, adiantou Eduardo Vítor Rodrigues.

Este serviço, que abriu em 1998, tem cerca de 950 utilizadores, recebendo, frequentemente, solicitações de escolas que procuram obras do Plano Nacional de Leitura e de instituições como delegações da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal. Além disso, o espaço tem, aproximadamente, 1400 obras em braille e mais de três mil em suporte áudio, que podem ser requisitadas gratuitamente durante 30 dias.

Corredor metrobus na EN 222

Também o lançamento do concurso público internacional para a construção da primeira fase do corredor para o metrobus na Avenida Vasco da Gama (EN 222), entre a avenida D. João II e os Arcos do Sardão, vai a votos na próxima reunião do executivo. Esta é a primeira de três intervenções na avenida, e o investimento previsto é de 3,8 milhões de euros.

PÚBLICO - A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo
A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo Gonçalo Dias
PÚBLICO - A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo
A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo Gonçalo Dias
PÚBLICO - A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo
A construção do corredor para o metrobus também vai a votos na reunião do executivo Gonçalo Dias
Fotogaleria
Gonçalo Dias

Esta primeira fase da intervenção, que se insere na requalificação e reordenação total da avenida, visa criar corredores segregados para um novo serviço de transporte que deverá fazer parte da rede Andante. Um dos objectivos é, segundo a nota da autarquia, “reduzir as emissões de dióxido de carbono, através da melhoria de condições para o transporte público e para a mobilidade suave”. As bicicletas vão poder circular neste canal, acrescenta a autarquia. 

Este serviço vai contar com material circulante novo, com capacidade para cerca de 130 pessoas e com níveis de velocidade e frequência superiores a um autocarro numa via convencional. São oito os veículos eléctricos que deverão assegurar o serviço de metrobus durante este período inicial. Para Eduardo Vítor Rodrigues, citado na nota referida, “isto significa o arranque de um processo de melhoria da mobilidade e do transporte público em Vila Nova de Gaia”. Depois desta primeira fase, segue-se uma obra até à rotunda de Avintes e, finalmente, uma terceira até Lever. A Câmara de Gaia quer ainda implementar esta solução entre Grijó e Santo Ovídio e na Avenida do Atlântico.

Com os vários projectos que vão ser levados à reunião de executivo desta segunda-feira – o Pavilhão Multiusos, as empreitadas de requalificação de 33 escolas, a requalificação da Biblioteca Municipal e a construção do metrobus –, o município vai investir cerca de 18,3 milhões de euros.