Espanha: EDP muda nome para Baser no mercado regulado

Depois da mudança do nome e imagem da operadora da rede de distribuição para E-Redes, a comercializadora do mercado regulado também deixa cair o nome EDP no mercado espanhol.

Foto
A comercializadora espanhola da EDP para o mercado regulado abastece 230 mil clientes PP PAULO PIMENTA

Depois de Portugal, a EDP passou também a ter uma nova marca para o mercado regulado em Espanha. A EDP COR – o equivalente à portuguesa EDP Serviço Universal, que passará a chamar-se SU Electricidade – vai transformar-se em Baser Cor.

A empresa anunciou esta sexta-feira a mudança, que tinha sido exigido pelo regulador do mercado espanhol, a CNMC, num processo semelhante ao que decorre ainda em Portugal.

Na segunda-feira, a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) anunciou que a EDP Serviço Universal (a empresa que abastece os clientes que ainda estão no mercado regulado) terá de mudar de nome e imagem, até 15 de Janeiro, para SU Electricidade.

Em Espanha, a empresa, que fornece 230 mil clientes, divulga hoje a mudança: abandona a designação EDP no nome e troca o encarnado pelo preto e pelo branco, para se tornar Baser Cor (de comercializadora de referência). A EDP Espanha, que actua no mercado liberalizado, tem cerca de 2,3 milhões de clientes.

A mudança de marca do negócio regulado no mercado espanhol será evidente a partir da próxima semana, com as lojas e as facturas a apresentarem já a nova imagem.

Ao contrário de Portugal, onde só uma empresa fornece o mercado regulado, em Espanha há oito entidades que servem este segmento, onde ainda estão 11 milhões de clientes. Além da EDP, estão neste grupo empresas como Endesa e Iberdrola, também elas obrigadas a fazer a mudança de imagem.

Esta alteração, exigida pelos reguladores para que os consumidores possam distinguir com facilidade as empresas que operam no mercado regulado daquelas que concorrem livremente no mercado liberalizado, já foi feita em Espanha para a actividade de distribuição eléctrica, onde a empresa adoptou o nome E-Redes, com uma imagem de marca amarela. 

Em Portugal, a mudança continua por fazer. E apesar das críticas dos concorrentes da EDP Comercial (que consideram que esta indistinção de marcas dá uma vantagem competitiva desleal à empresa), nada se deverá alterar enquanto o Governo não retomar o processo de renovação das concessões de distribuição municipais.