Amazónia

Os “pulmões do planeta” estão a arder. Estas ilustrações são um protesto

 

 

Ilustração de Miguel Couto
Fotogaleria
Ilustração de Miguel Couto

A 20 de Agosto, um dia quente em São Paulo transformou-se numa noite fria — que chegou antes do pôr do Sol. Uma frente fria encontrou-se com a fuligem das queimadas provocando um "fenómeno óptico que escureceu o céu", explicou Carlos Nobre, especialista da Amazónia, ao jornal brasileiro Globo. Os ecossistemas da floresta amazónica são os mais afectados pelo aumento do número de fogos no Brasil:  mais de 72 mil focos de incêndio contabilizados até domingo, um aumento de 82% em relação ao ano passado. Apesar do clima estar mais seco do que em 2018, a maior parte dos incêndios é provocada por acção humana, "seja acidental ou propositada", apontam os investigadores citados pela imprensa brasileira. "A culpa não é do clima, ele só cria as condições, mas alguém coloca o fogo”, afirmou Alberto Setzer, ao Estadão.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a desflorestação da Amazónia aumentou 88% em Junho e 278% em Julho, comparando com o mesmo período do ano passado. Em 30 anos, calcula-se que tenha perdido cerca de 20% da sua área florestal original — o equivalente a oito vezes o território de Portugal.  A administração de Jair Bolsonaro descredibilizou estes dados e, esta quarta-feira, atirou mais achas para a fogueira ao acusar — sem mostrar provas — organizações não governamentais de "incendiarem a floresta", depois de o Governo brasileiro lhes cortar o financiamento em 40%.  “A questão das queimadas na Amazónia é que no meu entender pode ter sido potencializada por ONGs porque eles perderam dinheiro. Qual é a intenção? Trazer problemas para o Brasil”, acusou o presidente.

Com o aumento dos incêndios, a hashtag #PrayforAmazonia é uma das tendências no Twitter e as ilustrações de artistas brasileiros (e não só) a criticar a inacção do governo de Bolsonaro, a manifestarem-se pela destruição das terras de povos indígenas e a chorar a perda de biodiversidade da maior floresta tropical do mundo estão a ser partilhadas milhares de vezes no Instagram. Queremos mostrá-las nesta fotogaleria, tal como já fizemos com o incêndio na Catedral de Notre-Dame, em Paris, ou com os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Afinal, falamos de um dos maiores "pulmões do planeta", um "armazém de carbono" que também é indispensável para o combate ao aquecimento global e para a regulação do clima na América do Sul.

Para participares com trabalhos teus, envia-nos desenhos e ilustrações em formato .jpg ou .png, com indicação do teu nome no ficheiro, para [email protected], até sexta-feira, 23 de Agosto, ou publica no Instagram e identifica o P3 (@publicoP3)

Vicente Niro
Ilustração de Joana Cardoso,Ilustração de Joana Cardoso
@giovanamedeiros
@_bmogones
@petitabel
@o.ribs
@flopezdesign
Ilustração enviada por Dora Matias
Ilustração enviada por Dora Matias @marialice.sketches
Ilustração de Ana Camila Silva
Ilustração de Francisco Romano
@kid.galindro
Ilustração de Raquel Dias
Ilustração de Rodrigo
Ilustração de Helena Rebelo
Ilustração de Filippo Fiumani
Ilustração de Catarina Mesquita
Ilustração de Raquel Pina
Ilustração de Miguel Couto
Ilustração de Carolina Maria
Ilustração de Vitor Silva
Ilustração de Ana Mendes
Ilustração de Rita Silva
@woodnatura e @inespaixao.art
Ilustração de Mafalda Manaia
@cursedheartbeats
@leandro_assis_ilustra
@lustycapuccino
Ilustração de Joel Almeida
Ilustração de Joana Macedo
@heymaff
Ilustração de Agostinho Pereira
Ilustração de Jéssica Teixeira/@followthewhiterabbit_inspired