Administração Trump anuncia fim de limite de tempo para detenção de crianças imigrantes

Segundo um acordo actual, os menores só podiam ficar sob custódia das autoridades 20 dias. O plano abre a porta a detenção ilimitada.

,Nicolás Dujovne
Foto
Migrantes em Juaréz, México REY R. JAUREGUI/EPA

A Administração Trump anunciou esta quarta-feira um plano para acabar com um limite máximo de 20 dias de detenção de menores migrantes que entrem na sua fronteira Sul, mais um passo na sua política para dificultar a imigração.

O secretário interino da Segurança Interna, Kevin McAleenan, disse que a medida tem como objectivo reduzir o número de famílias a tentar entrar nos Estados Unidos. O limite foi estabelecido no chamado Acordo de Flores, em que se estabelecia que as autoridades tinham de libertar um menor o mais depressa possível, com um limite de 20 dias.

“Ao fechar esta falha, as novas regras vão restituir a integridade no nosso sistema de imigração e eliminar o maior factor de atracção que alimenta esta crise”, declarou McAleenan, citado pela CNN, numa conferência de imprensa.

Responsáveis do Departamento da Segurança argumentam que devido a esta exigência muitos imigrantes se fazem acompanhar de menores, “um passaporte”, dizem, para serem libertados.

Este ano foram presas mais de 430 mil pessoas a atravessar ilegalmente a fronteira, muitas viajando em família, comparado com cerca de 100 mil em todo o ano passado, aponta a estação de televisão norte-americana.

A CNN diz que é certo que a legalidade da medida seja contestada em tribunal. É previsto que entre em vigor 60 dias depois de ser formalmente publicada, no final desta semana.

Nos últimos meses, a Administração Trump propor regras para tornar mais difícil a alguns imigrantes obterem o green card, que dá estatuto de residente permanente, e limitaram as vias para a obtenção do estatuto de refugiado.