Sonae vende mais 11% com investimento a subir

A retalhista dona do Continente registou uma subida de 11% do volume de negócios durante o primeiro semestre do ano para perto de três mil milhões.

Foto
Nelson Garrido

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, a Sonae (dona do PÚBLICO) reportou um volume de negócios de 2985 milhões de euros entre Janeiro e Julho deste ano, um crescimento de 11% suportado pelo desempenho da Sonae MC e da Sonae IM. Este desempenho foi também influenciado pela “consolidação das contas estatutárias da Sonae Sierra (86 milhões de euros)”.

No segundo trimestre de 2019, “registou-se uma aceleração do crescimento, com o volume de negócios a crescer 13,1%” superando 1500 milhões de euros”, sublinha.

No que diz respeito ao resultado líquido, verificou-se uma queda de 52,8% para os 38 milhões de euros, “devido sobretudo ao ganho de capital no segundo trimestre de 2018 da transacção da Outsystems. Excluindo esta operação, o resultado líquido teria aumentado 24%”, esclarece a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

A presidente-executiva do grupo aproveitou sublinhar, no mesmo comunicado que, “dado este conjunto de resultados, a robustez da nossa proposta de valor e a força das nossas equipas de gestão, permanecemos confiantes que 2019 será um ano muito positivo para a Sonae”.

Em termos de rentabilidade (EBITDA), a Sonae fechou o semestre com um crescimento de 10% para os 284 milhões de euros beneficiando também “do aumento nos resultados do método de equivalência patrimonial, que foram impulsionados pela consolidação integral da Sonae Sierra e também pela clara melhoria de desempenho da ISRG, que teve um contributo positivo de três milhões de euros”.

Já o EBITDA subjacente cresceu 24,4%, para 243 milhões de euros “sustentado pelo desempenho positivo da Sonae MC, Sonae Fashion e Sonae FS, assim como pela consolidação da Sonae Sierra. Numa base comparável e excluindo a contribuição da Sonae Sierra, o EBITDA subjacente teria crescido 10% em termos homólogos”.

Investimento a subir

Durante este período, o investimento do grupo aumentou 25,3%, para 189 milhões de euros, “sendo de destacar o investimento realizado pela Sonae MC na aquisição da rede de parafarmácias e cosmética espanhola Arenal e da Sonae IM na aquisição de participações na Cellwize e CB4”.  Relativamente à expansão, anunciou que abriu 30 novas lojas “operadas pela empresa, onde se incluem cinco Continente Bom Dia”

A dívida líquida da Sonae diminuiu 131 milhões de euros em relação ao primeiro semestre do ano passado para os 1755 milhões de euros. “O custo de dívida da Sonae permaneceu estável em 1,3% durante o primeiro semestre e o perfil da maturidade média aumentou para mais de quatro anos”