Greve dos motoristas: Rio recusa comentar o que já tinha comentado uma hora antes

Líder do PSD nada diz sobre declarações de Marques Mendes, que afirmou que António Costa foi o vencedor da greve dos motoristas. Mas, uma hora antes, tinha comentado no Twitter, referindo-se a “alguns profissionais do comentário”, que diziam que “o PSD perdeu ‘esta coisa’”.

Rui Rio
Foto
Rui Rio LUSA/FERNANDO VELUDO

No domingo à noite, Marques Mendes considerou que António Costa tinha saído como o grande vencedor na sequência da greve dos motoristas de matérias perigosas. Questionado sobre as palavras do antigo presidente do PSD, Rui Rio recusou-se a fazer qualquer comentário. “Não vi [o comentário de Mendes na SIC]. Não comento comentadores”, disse em Viana do Castelo, numa visita às Festas da Agonia. Mas já tinha comentado pouco tempo antes numa publicação na sua conta oficial no Twitter.

Rio falou aos jornalistas em Viana do Castelo pelas 18h45. Uma hora antes tinha feito a seguinte publicação na rede social: “A greve começou no dia 12/8. O PSD falou no dia 8 e no dia 10. Voltou a exprimir-se no dia 14 e no dia 16. Segundo alguns profissionais do comentário, o PSD perdeu ‘esta coisa’ porque falou pouco e tarde. O Governo terá ganho porque falou por 7 (ou 8) cotovelos, 25 horas por dia.”

De resto, Rio voltou a acusar António Costa de ter “dramatizado” a greve dos motoristas e de só ter resolvido a situação “quando assumiu uma papel mais isento” e “deixou de estar do lado de uma parte [os patrões] e passou a estar ao meio”. Não acha, porém, que o primeiro-ministro tenha saído beneficiado na sequência da greve, devido “à postura que tomou, muito marcada pelas eleições de Outubro e não ao serviço da população”.

O PSD, através do deputado Pedro Roque, questionou no domingo o Governo sobre o emprego de militares das Forças Armadas “em substituição de grevistas” na distribuição de combustíveis, no âmbito da paralisação dos motoristas de transportes de matérias perigosas, que decorre há sete dias. Instado pelos jornalistas sobre as dúvidas da bancada parlamentar, Rui Rio disse que a posição “não partiu da direcção nacional do PSD, mas de um deputado”, mas que é “bom ver se o Governo agiu dentro da legalidade”.

Na noite desta segunda-feira, Rui Rio e António Costa vão estar, pelas 22h, nas ruas de Viana do Castelo como o mesmo tópico na agenda: visitar as ruas atapetadas por flores. As ruas que um e outro vão visitar são diferentes, mas estarão separados por pouco mais de 200 metros. O presidente do PSD diz que, se cruzar com o primeiro-ministro, não tem nada para lhe dizer.

“Não tenho nada para conversar com ele nesta altura. Não é a um mês e meio de eleições que há espaços para entendimentos”. Afirmou Rio.