EDP Serviço Universal muda de nome para SU Electricidade

Mudança de nome e imagem não terá encargos para os consumidores de electricidade. Logotipo deixa o encarnado da EDP e passa a ser verde.

Antonio Luis Guerra Nunes Mexia
Foto
Nuno Ferreira Santos

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) anunciou esta segunda-feira que a EDP Serviço Universal (EDP SU) vai passar a chamar-se SU Electricidade.

A ERSE impôs ao grupo EDP que fizesse uma separação total de designação e imagem entre as empresas do grupo que prestam serviços regulados - ou seja, têm uma função específica no sector eléctrico e são remuneradas por isso através das tarifas da electricidade - e aquelas que actuam no mercado liberalizado, como a EDP Comercial.

Esta é uma confusão que, segundo os concorrentes da EDP Comercial (a líder do mercado liberalizado), dá vantagem à empresa e é um entrave ao crescimento das restantes comercializadoras. Neste caso, a EDP SU, que é a empresa que abastece os clientes de electricidade que ainda estão no mercado regulado (e é designada como comercializador de último recurso), passará a ser conhecida como SU Electricidade.

Muda o nome e muda também a cor associada à empresa, que passa do tradicional encarnado da EDP para o verde.

A entidade liderada por Cristina Portugal destaca que “a medida visa evitar confusão com as demais marcas do grupo EDP e implica a total distinção dos elementos gráficos, cromáticos, simbológicos e comunicacionais daquele comercializador de último recurso”. As alterações terão de ficar concluídas até 15 de Janeiro.

A ERSE refere ainda que a implementação da mudança “assegura a neutralidade de custos para os consumidores de energia eléctrica”.

A mudança anunciada ainda em Dezembro de 2017 concretiza-se assim, depois de a ERSE ter estado a analisar as propostas que a empresa fez à reguladora.

Pendente está, por enquanto, a mudança de nome e imagem da EDP Distribuição, que assegura a distribuição eléctrica à generalidade dos clientes no país. Um impasse que a entidade reguladora tem justificado com o facto de o Governo ter congelado o processo de renovação das concessões eléctricas municipais, que deveriam ter-se concretizado este ano através de concursos.

Para esta mudança, a EDP Distribuição já tem registado nomes como E-Redes (que já adoptou em Espanha, onde também houve obrigatoriedade de separar a imagem), Inodis e Edis, estando a aguardar o registo do nome Endis.

A EDP Distribuição tem reclamado que os custos da mudança de imagem são uma imposição regulatória e, como tal, devem poder ser recuperados através das tarifas.