Atlético de serviços mínimos em estreia agridoce de João Félix

Avançado português desenhou uma jogada brilhante, mas saiu lesionado dez minutos depois.

Malcom
Foto
Reuters/SERGIO PEREZ

João Félix vai guardar (pelo menos) uma boa e uma má recordações da estreia absoluta na Liga espanhola. A primeira remete para o minuto 55, quando arrancou de trás da linha do meio-campo, levou três adversários e foi derrubado na área adversária. A segunda nasceu dez minutos depois, ao sofrer um choque que o obrigou a sair mais cedo do jogo, com queixas físicas. Quanto ao resultado, o Atlético Madrid ganhou ao Getafe (1-0) e juntou-se ao alargado grupo de líderes da competição.

Mais do que perceber que resposta iria dar o avançado português depois dos 126 milhões pagos pelos “colchoneros” ao Benfica, importava saber se iria dar continuidade aos sinais muito encorajadores que mostrara na pré-época (que o diga a Juventus, por exemplo). Sob a mira da marcação adversária, é verdade que João Félix teve um papel discreto no primeiro tempo, mas foi nessa altura que os madrilenos chegaram ao golo: cruzamento de Trippier da direita, finalização de Morata. 

Com 56.099 espectadores nas bancadas do Wanda Metropolitano, o Atlético continuou a comandar a partida e podia ter chegado ao 2-0 aos 66’, se Morata tivesse convertido a grande penalidade conquistada por Félix, na sequência de uma jogada individual magistral. Não foi o caso e o português sairia de cena de forma inglória aos 65’, com aparentes queixas num tornozelo.

Até final, num jogo marcado por uma expulsão para cada lado ainda na primeira parte (Molina pelo Getafe, Lodi pelo Atlético), os anfitriões não forçaram muito o segundo golo, controlando com bola e impedindo que o adversário chegasse com perigo ao último terço.