Entrevista com Leyla Acaroglu

“Culpar o capitalismo é muito redutor. É como culpar as palhinhas”

Nomeada defensora da Terra pelas Nações Unidas, Leyla Acaroglu tem vários livros publicados e protagoniza conferências, sobre design e sustentabilidade, que somam milhões de visualizações na Internet. Comprou uma quinta em Tomar, onde tenta abrir mentes adormecidas e restituir a curiosidade que o quotidiano vai apagando das nossas cabeças.

Leyla Acaroglu (o apelido lê-se Adjarolu) tem 37 anos, uma licenciatura em Sociologia e um doutoramento em Design. Tem pai turco, mãe britânica, nacionalidade australiana, um apartamento em Brooklyn e uma quinta em Tomar. Passa a maior parte do ano em viagem pelo mundo inteiro, apresentando-se como uma “sustainability provocateur”.