Rapper A$AP Rocky condenado por agressão na Suécia

Tribunal considerou o músico norte-americano culpado de ofensas à integridade física numa rixa em Estocolmo, aplicando-lhe uma pena suspensa de dois anos de prisão.

Foto
A$AP Rocky Mario Anzuoni/Reuters

O rapper norte-americano A$AP Rocky foi condenado a dois anos de prisão com pena suspensa na sequência da rixa em que se envolveu em Estocolmo. A sentença agora decretada pelo tribunal sueco vem encerrar um caso que fez o presidente dos EUA tecer duras críticas àquele país escandinavo, depois de o músico ter passado quase um mês em prisão preventiva. Dois outros elementos do grupo do rapper, que estiveram envolvidos na mesma rixa no final de Junho, foram também condenados.

Rakim Mayers, nome de baptismo do músico, aguardava a sentença em liberdade, nos Estados Unidos, desde 2 de Agosto. Esta quarta-feira, o tribunal rejeitou as suas alegações de que teria agido em legítima defesa com base nos depoimentos de duas testemunhas e em provas em vídeo, mas considerou que as agressões não tiveram gravidade suficiente para merecer uma pena de prisão efectiva. O rapper de 30 anos terá ainda de pagar uma indemnização no valor de 12.500 coroas suecas (cerca de 1100 euros) ao queixoso, segundo a Reuters.

A acusação argumentou que Mayers atirou ao chão Mustafa Jafari, de 19 anos, e o agrediu “com golpes e pontapés” com a ajuda de dois guarda-costas, cita a agência norte-americana Associated Press. A vítima terá sido também atingida na cabeça com uma garrafa, mas “não ficou claro” quem a manipulou, admitiu a acusação, o que “afectou a análise da seriedade do crime”.

De acordo com a versão que apresentou em tribunal, rapper terá sido perseguido por dois homens no dia 30 de Junho na capital sueca; um deles terá iniciado uma luta física com um dos seus guarda-costas, recorda o The Guardian

O tribunal levou em conta o facto de os arguidos não terem condenações prévias, nos últimos cinco anos, e ainda o de já terem estado detidos enquanto aguardavam julgamento. Nenhum dos arguidos terá de cumprir efectivamente uma pena de prisão na Suécia, a menos que voltem a cometer uma infracção semelhante no país nos próximos dois anos.

O advogado do rapper, Slobodan Jovicic, disse estar “desapontado” com a decisão do tribunal, uma vez que esperava “absolvição total”. Jovicic disse ainda aos jornalistas que ainda era demasiado cedo para dizer se vai recorrer da decisão.

O caso de A$AP Rocky chamou a atenção de Donald Trump depois da intervenção de vários músicos, amigos do rapper. O presidente norte-americano chegou mesmo a pedir a libertação do músico, no meio de críticas à justiça sueca e ao primeiro-ministro do país. “Estou muito desiludido com o primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, que foi incapaz de agir. A Suécia desiludiu a nossa comunidade afro-americana. Assisti aos vídeos de A$AP Rocky e ele estava a ser perseguido e assediado por desordeiros”, afirmou, numa das várias críticas que fez através do Twitter. O gabinete de Löfven respondeu, em comunicado, que “na Suécia toda a gente é igual perante a lei”.

Durante o tempo que passou sob custódia na Suécia, A$AP Rocky foi obrigado a cancelar vários concertos. Depois da sua libertação, no início de Agosto, actuou no festival 92.3 Real Street, na Califórnia (EUA), onde falou um pouco sobre o tempo que esteve preso. De acordo com a BBC, o rapper contou que foi uma experiência “assustadora” e “uma lição de humildade”, antes de pedir aos fãs para continuarem “a rezar” por ele.