“O Sul é onde se vive a pior situação”, reconhecem as petrolíferas

Menos saídas de camiões de Aveiras e de Sines cortaram os abastecimentos ao aeroporto de Lisboa e ao Sul do país, levando o Governo a avançar para uma requisição civil com alvos específicos.

Foto
O Governo avançou com a requisição civil esta segunda-feira LUSA/ESTELA SILVA

O primeiro dia de greve dos motoristas de matérias perigosas fez mossa em vários pontos do país, mas foram as disrupções no abastecimento ao aeroporto de Lisboa e ao Sul do país — e em particular à rede de postos prioritários no Algarve — que levaram o Governo a avançar com uma requisição civil cirúrgica, para travar maiores consequências de um protesto de duração incerta.