Todo o país em grau muito elevado de exposição aos raios UV

Instituto Português do Mar e da Atmosfera diz que há maior incidência nos distritos de Beja, Évora e Guarda. Nestas três cidades o nível de risco chega ao 10, o segundo mais grave.

Foto
daniel rocha

Todo o país apresenta hoje risco “muito elevado” de exposição à radiação ultravioleta (UV), avisa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). A maior incidência será nos distritos de Beja, Évora e Guarda.

Nestes três distritos, do Sul e Centro do continente, o nível de risco chega ao 10, o segundo mais grave numa escala que vai de 1 a 11, sendo este último considerado “risco extremo”.

O resto do continente e também os arquipélagos dos Açores e Madeira estão hoje com níveis entre o 8 e o 9.

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

Para as regiões com risco muito elevado e elevado, o IPMA recomenda a utilização de óculos de sol com filtro UV, chapéu, “t-shirt”, guarda-sol, protector solar e evitar a exposição das crianças ao Sol.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Para o dia de hoje o IPMA prevê pouca nebulosidade, que deverá aumentar nas regiões Norte e Centro até meio da manhã.

O vento estará fraco a moderado (até 30 km/h), mas, a partir da tarde, ficará mais forte e terá, às vezes, rajadas de até 65 km/h, sobretudo no litoral.

A temperatura mínima deverá sofrer uma pequena descida, enquanto a máxima irá subir.

As temperaturas máximas vão oscilar entre os 31º, em Évora e Faro, Évora e Santarém, e os 22º, no Porto e em Viana do Castelo.

Nos Açores, a temperaturas vão rondar os 24º a 26º e na Madeira os 26º a 28º.