Passes mais baratos tiveram “impacto maior do que pensávamos”

Cristina Dourado, que lidera a Fertagus, defende uma linha circular “entre a Ponte 25 de Abril e a terceira travessia do Tejo”. Já sobre os preços mais baixos dos passes, revela que, “do ponto de vista financeiro, foi um mau negócio para a Fertagus”.

Foto
Cristina Dourado, administradora delegada da Fertagus Nuno Ferreira Santos

Na ressaca das comemorações dos 20 anos da Fertagus, Cristina Dourado, administradora delegada da Fertagus, a empresa que assegura a ligação ferroviária na Ponte 25 de Abril, sobre o Tejo, em Lisboa, destaca: “Era urgente termos uma quinta carruagem nos nossos comboios para poder reforçar a oferta sem aumentar o número de comboios na ponte.” E acrescenta: “Nunca poderemos assegurar a travessia do Tejo com todas as pessoas que querem vir para a margem norte pela ferrovia.”