Arrume os chinelos este Verão: podem estar a causar-lhe má postura

Os chinelos que usa para ir à praia e à piscina podem estar a provocar-lhe má postura, de acordo com cinco podologistas entrevistados pelo PÚBLICO. Numa altura em que há uma maior probabilidade em apanhar infecções nos pés, relembramos-lhe que cuidados deve ter este Verão.

Family Foot Center
Fotogaleria
O uso de chinelos pode causar dores na zona plantar Simon Matzinger / Unsplash
Fotogaleria
Sun Ming / Unsplash

Usamo-los para ir à praia e à piscina, mas quando damos por nós, os chinelos já servem para ir a todo o lado. Apesar de parecerem uma opção prática e confortável nos meses de calor, os podologistas alertam para os malefícios do uso continuado deste calçado – podem estar a provocar-lhe problemas de postura.

O presidente da Associação Portuguesa de Podologia (APP), Manuel Portela, explica porquê: “Os chinelos não têm pontos de fixação, pelo que os dedos têm tendência a fazer uma posição de garra, para segurar o chinelo. Isto causa problemas de postura, para além de provocar metatarsalgias (dores na zona plantar).”

O facto de a sola do chinelo ser muito rasa contribui ainda para uma sobrecarga lombar, para além de fazer pressão nos gémeos e a nível do calcanhar, esclarece Manuel Portela.

Há quem vá mais longe e diga que os chinelos “são o pior calçado nesta altura do ano”, como é o caso de António Figueiredo, podologista na LX Foot, em Lisboa. Mas será que os devemos eliminar completamente da nossa vida?

Apesar de não serem ideais para uso diário, tal como apontam os cinco podologistas entrevistados pelo PÚBLICO, tudo dependerá do tempo de utilização e das circunstâncias.

“Não se pode dizer que os chinelos são prejudiciais. Não deve usar chinelos se tiver o pé cavo ou plano – neste último caso pode deformar-lhe o tornozelo. Mas se não tiver nenhum destes problemas, pode usar”, defende Manuel André Gomes, presidente do colégio de ortopedistas.

Faz, no entanto, uma ressalva: “convém não andar de chinelos desde que se levante até que se deite todos os dias.”

Pessoas preocupam-se mais no Verão

Com esta lista de malefícios fica a pergunta: afinal o que devemos levar para ir à praia ou à piscina? Os podologistas apontam que o ideal para uso diário são as sandálias, que ao terem uma tira que segura no calcanhar proporcionam uma maior estabilidade.

Manuel Portela acrescenta à lista de características o efeito antiderrapante, principalmente se for à piscina (para evitar quedas e possíveis fracturas). Para além disso, alerta para a escolha de calçado com tiras muito justas, que podem ter o efeito de garrote – ou seja, que barrem a circulação sanguínea.

Mas a posição dos podologistas quanto a este calçado não é completamente negativa: reconhecem que o uso pontual de chinelos é essencial em piscinas, praias e balneários, para evitar situações de fissuras, verrugas, onicomicoses (infecção fúngica da unha), pé de atleta, dermatomicoses e infecções víricas – patologias que encontram um microclima excelente com o calor do verão e a humidade das piscinas, praias e da própria transpiração.

“No Verão aparecem mais patologias de pele, mas a verdade é que nestas alturas as pessoas também se preocupam mais: como têm os pés mais expostos, procuram mais os podologistas, até mesmo por uma questão estética”, esclarece Fátima Carvalho, do Centro Clínico do Pé.

O presidente da APP critica a sazonalidade dessa preocupação, uma vez que existem patologias que exigem um maior tempo de recuperação: “O tratamento nem sempre é tão rápido quanto os pacientes gostariam. As onicomicoses, por exemplo, precisam de tratamento prolongado, no mínimo de três meses”, explica.

Limpeza e secagem dos pés é essencial no Verão

Não se pode dizer que estas patologias afectem mais ou menos determinados grupos etários, mas há faixas da população mais susceptíveis, como as crianças e os idosos.

“As crianças e os adolescentes passam as férias quase todas em locais públicos e andam com os pés nas toalhas uns dos outros e na terra. É importante que cada um tenha a sua toalha, para não apanharem papiloma vírico ou dermatomicoses”, explica Fátima Carvalho.

Sobre isto, Manuel Portela explica que pode haver algumas tendências, apesar de não serem totalmente lineares: as crianças costumam estar mais vulneráveis a verrugas plantares; os jovens a queimaduras (na parte de cima do pé); os adultos a infecções fúngicas e os idosos a edemas e mau estar plantar, associado à insuficiência vascular e à exposição solar.

O que podemos fazer, então, para prevenir estas patologias? Uma limpeza profunda dos pés e uma boa secagem, principalmente entre os dedos dos pés, foram os principais cuidados apontados por todos os podologistas entrevistados. Para Miguel Oliveira, podologista especializado na área da podoposturologia, estes cuidados são essenciais durante todo o ano, e não apenas no verão.

Aliás, de acordo com António Figueiredo, este cuidado também facilita a detecção de calosidades e outras irregularidades: “As pessoas com menos mobilidade devem apontar os pés para o espelho para verem se têm algum problema plantar, ou até mesmo pedir ajuda a outra pessoa. Nos idosos é normal que tenham alguma perda de sensibilidade e não se apercebam de feridas”, explica.

À lista de cuidados acrescenta-se o uso de meias, de algodão ou seda, caso utilize sapatos fechados, como sapatilhas: a ideia é a de evitar a fricção entre o pé e o interior do sapato, que pode causar feridas. Para quem transpira muito, Rita Neves Machado, podologista num consultório de podologia com o seu nome, recomenda que traga um par de meias a mais, para trocar caso seja necessário.

Seis principais cuidados a ter com os pés no Verão

PÚBLICO -
Foto
Dhruv Deshmukh / Unsplash
  1. Lave e seque bem os pés, principalmente entre os dedos;
  2. Hidrate duas vezes por dia;
  3. Corte as unhas em linha recta, tendo cuidado com os cantos, para não encravarem;
  4. Utilize apenas meias de fibras naturais, como algodão ou seda;
  5.  Se transpirar muito, utilize um pó antitranspirante;
  6. Coloque protector solar na parte de cima do pé.