PSE promove conferência sobre coesão no Funchal

Socialistas europeus reúnem-se no final do mês na Madeira, para debater o futuro das políticas de coesão e das regiões ultraperiféricas, a pouco mais de um mês das eleições regionais.

Paulo Cafôfo
Foto
Paulo Cafôfo Rui Gaudêncio

O Partido Socialista Europeu (PSE) organiza no final deste mês, no Funchal, uma conferência sobre regiões ultraperiféricas e coesão. A reunião, confirmada pelo PÚBLICO junto da direcção do PS-Madeira, decorre a 30 de Agosto, um dia antes da festa-comício que assinalará a rentrée política do partido na região autónoma.

Pelo Centro de Congressos da Madeira, local que tem sido escolhido para os socialistas madeirenses realizarem as jornadas dos Estados Gerais do partido, vão passar dirigentes do PSE e outras figuras da família socialista europeia. Emanuel Câmara, presidente do PS-Madeira, Francisco André, vice-presidente do PSE e o italiano Giacomo Filibeck, secretário-geral adjunto do PSE, vão intervir na sessão de abertura da conferência, que pretende responder às questões: “O que é a coesão económica, social e territorial?”; e “Porque são importantes as políticas de coesão para o projecto europeu?”

O presidente do PS, Carlos César, e o cabeça de lista dos socialistas madeirenses às eleições regionais de 22 de Setembro, Paulo Cafôfo, vão fechar o encontro, que terá ainda o ministro do Planeamento, Nelson Souza, os eurodeputados do PS Pedro Marques e Sara Cerdas (indicada pela Madeira) e a candidata socialista à Assembleia da República, também indicada pela Madeira, Marta Freitas.

Prevista está também a presença de Aaron Farrugia, o maltês do PL, que é secretário de Estado para os Fundos Europeus e para o Diálogo Social; de Nicolas Schmit, eurodeputado do LSAP do Luxemburgo; da eurodeputada romena e antiga ministra dos Fundos Comunitários do PSD da Roménia, Rovanna Plumb; e do ministro para os Assuntos Europeus finlandês, Tytti Tuppurainen (SDP).

O encontro serve também para avaliar o “sucesso das políticas de coesão”, tendo em consideração a relação entre “boas práticas e resultados”, pretendendo apontar estratégias para a abordagem futura dos socialistas à coesão social. Isto, num contexto em que a União Europeia está a discutir uma reforma (ou actualização) das politicas de coesão, para o pós-2021.

A escolha do Funchal para palco desta conferência não será alheia ao calendário eleitoral madeirense. A região autónoma escolhe um novo governo em Setembro, e os fundos de coesão têm uma importância transversal nas políticas do arquipélago.