SEF desmantela em Lisboa rede que explorava mulheres estrangeiras para prostituição

Duas pessoas que exploravam o negócio foram constituídas arguidas e indiciadas pela prática dos crimes de lenocínio e auxílio à imigração ilegal.

Foto
Miguel Manso

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou neste sábado que desmantelou uma “rede criminosa” de exploração de mulheres estrangeiras para prostituição no centro de Lisboa.

Em comunicado, aquele organismo indica que a investigação foi desenvolvida “no último ano”, tendo culminado na quinta-feira com o cumprimento de mandado de busca no local que funcionava como prostíbulo, onde foi “apreendida abundante prova dos crimes”.

Duas pessoas que exploravam o negócio foram constituídas arguidas e indiciadas pela prática dos crimes de lenocínio e auxílio à imigração ilegal.

As mulheres, de nacionalidade estrangeira, eram “controladas pelos arguidos através de um sistema de videovigilância instalado no local”. “Com esta operação, foi possível terminar com a actividade ilícita que permitia grandes proveitos económicos aos arguidos mediante a exploração de várias dezenas de mulheres ao longo dos últimos anos e restabelecer a paz social na vizinhança”, refere a nota do SEF.

Na operação participaram sete inspectores do SEF e dois elementos da equipa cinotécnica do Grupo Operacional da Unidade Especial de Polícia da PSP, para despiste de tráfico de estupefacientes no local.

Sugerir correcção