Reportagem

Motoristas lutarão o tempo que for preciso, mas esperam que greve “dure pouco”

Plenário conjunto de sindicatos de motoristas de mercadorias e de matérias perigosas foi concorrido e terminou de forma unânime e ruidosa. Esperam que greve termine antes do feriado.

Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Nuno Ferreira Santos

O primeiro-ministro disse que não ia dar nenhum passo que agravasse o conflito, e que o Governo iria acompanhar a greve dos motoristas com cuidado, dando as respostas que viessem a ser necessárias. “Nem um passo atrás”, foi o que gritaram à saída do plenário de ontem os quase 300 motoristas que estiveram reunidos em Aveiras de Cima, convocados pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) em conjunto com o Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias (SIMM). A greve vai avançar, por tempo indeterminado. Quanto tempo aguentarão os motoristas? O tempo que for preciso, percebemos por várias respostas. “Até que a Antram [Associação Nacional de Transportes Públicos Rodoviários de Mercadorias] diga que aceita as nossas propostas, e possamos voltar às negociações”, afirmou Francisco São Bento, presidente do SNMMP.