Arquitectura

Uma Floresta Branca para conhecer em Monsanto

José Ventura
Fotogaleria
José Ventura

Floresta Branca é o nome do projecto concebido pelo gabinete Bruno Câmara Arquitectos, que concretizou o desafio de construir um novo espaço de apoio para o Parque Florestal de Monsanto e reabilitar os seus espaços exteriores. Esta era uma empreitada ambicionada há já algum tempo pelo município, que pretendia requalificar várias áreas deste espaço verde, em Lisboa.

Em 2017, a Junta de Freguesia de Benfica lançou um concurso público para a construção de um espaço de apoio aos visitantes do Parque Florestal de Monsanto, com 900 hectares, criado em 1936 e delimitado em 1979. Mas o trabalho de manutenção e requalificação nunca chegou a ser concluído e agora, ao parque recreativo, centros de actividades, zonas de merendas e circuitos de manutenção junta-se a Floresta Branca.

Com o intuito de desenvolver um “projecto de arquitectura contemporânea, minimalista e ecológica”, Bruno Câmara mostrou grande interesse na construção, cujo principal desafio foi, como explicou ao P3, “integrar a nova estrutura na paisagem florestal de Monsanto”. Concebido com materiais sustentáveis, o projecto partiu da criação de percursos pedonais, limitados por 3411 troncos de madeira, pintados de branco. O espaço principal de restaurante e bar, que abrange uma zona interior e exterior, destaca-se pelas linhas minimalistas e pelas estruturas de madeira, ferro e vidro. Através dos formatos curvilíneos, as áreas exteriores adquirem diferentes funções, desde pequenos auditórios a vários espaços lúdicos. O parque florestal, agora requalificado, “é um espaço de referência em Monsanto”, acredita o arquitecto.

José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
José Ventura
Sugerir correcção