Farmácias russas dizem que vendas de iodo aumentaram na zona da base militar

Vários meios de comunicação social e agências de notícias russas dizem que vários farmacêuticos estão a reportar uma autêntica corrida aos comprimidos de iodo e que os moradores locais estão preocupados com a possibilidade de exposição à radiação.

Rússia
Foto
Entrada e ponto de controlo de uma base militar localizada na região de Arkhangelsk, no norte da Rússia REUTERS

Várias farmácias de cidades no norte da Rússia garantem que as vendas de produtos que contêm iodo, um composto químico usado para mitigar os efeitos da exposição à radiação, aumentaram esta semana depois de uma explosão de um motor de foguete durante um teste numa base militar. A explosão aconteceu esta quinta-feira num centro militar na região de Arkhangelsk, no norte da Rússia.

O acidente causou pelo menos dois mortos e seis feridos e provocou o aumento dos níveis de radiação durante um curto período de tempo, segundo noticiaram a Reuters e a agência de notícias russa TASS.

Segundo reporta o The Moscow Times, o Ministério da Defesa da Rússia afirmou que um motor de foguete de combustível líquido explodiu durante um teste na base militar local, mas avança poucos detalhes sobre como terá acontecido. E ainda que a tutela tenha dito inicialmente que não foi libertada nenhuma substância nociva e que os níveis de radiação não foram alterados, as autoridades das duas cidades relataram terem notado um aumento na radiação.

Desde o incidente que uma parte da baía do Mar Branco está fechada para os cidadãos e circulam fotografias de equipas de resgate a usar equipamento de protecção, incluindo máscaras de respiração, facto que está a preocupar a população que ainda não foi informada oficialmente do sucedido. Um comunicado divulgado pela autarquia de Severodvinsk, cidade que fica a cerca de 40 quilómetros de Arkhangelsk, sobre os níveis elevados de radiação, umas das únicas provas oficiais que o acidente realmente aconteceu, foi entretanto apagado.

Vários meios de comunicação social e agências de notícias russas dizem que vários farmacêuticos estão a reportar uma autêntica corrida aos comprimidos de iodo desde o dia da explosão e que os moradores locais estão preocupados com a possibilidade de exposição à radiação. "Eles ontem compraram tudo. Primeiro foram os comprimidos de iodo e iodomarina e só depois o iodo normal e iodeto de potássio”, disse um farmacêutico à Interfax, agência de notícias russa. “O rebuliço começou por volta das 17h00 e quando fechamos já tínhamos vendido tudo”.

Ainda não são conhecidas as causas da explosão ou que tipo de foguete estava a ser testado na base militar. Segundo o que avança a Reuters, que cita meios locais russo, a explosão do foguete pode ter ocorrido numa base que funciona como zona de testes de armas perto da vila de Nyonoksa, na região de Arkhangelsk, e que é frequentemente usada para testes em armas, incluindo mísseis balísticos e de cruzeiro que são usados ​​pela marinha russa.

A explosão do foguete foi o segundo incidente a atingir plataformas militares russas numa semana. Na segunda-feira, uma série de explosões num depósito de armas numa base militar na Sibéria, matou uma pessoa e feriu outras 13, levando mesmo as autoridades a evacuar milhares de pessoas de zonas próximas ao acidente.

Notícia actualizada às 21h80 do dia 10 de Agosto com o nome correcto da região russa.