Simone Biles acusa Federação de Ginástica de ter falhado no caso Larry Nassar

Para a medalhada olímpica norte-americana é “muito difícil falar sobre o assunto” e acusa a federação de ter fracassado em proteger as atletas.

Simone Biles
Fotogaleria
A ginasta acusou o médico de abuso sexual em Janeiro de 2018 Brian Snyder / Reuters
,Ginástica nos EUA
Fotogaleria
Biles detém o recorde do número de títulos mundiais no individual e geral USA Today Sports / Reuters

Simone Biles, que detém o recorde do número de títulos mundiais no individual geral (quatro, em 2013, 2014, 2015 e 2018), quebrou o silêncio sobre o escândalo relacionado com Larry Nassar e, ano e meio depois de ter admitido fazer parte da lista de atletas sexualmente abusadas pelo médico, acusou a Federação de Ginástica dos EUA de ter falhado na “única coisa que tinha para fazer”.

Em declarações aos jornalistas, a atleta, que considerou ser “muito difícil falar sobre o assunto”, acabou por se emocionar: “Eu não queria chorar, mas é duro vir aqui (…). Nós [as ginastas] fizemos tudo o que nos pediram, mesmo quando não queríamos, e eles não conseguiram cumprir um raio de uma tarefa”. Cada vez mais exaltada, Biles passou então a dirigir-se directamente aos membros da federação: “Vocês tinham uma tarefa, vocês tinham literalmente apenas uma tarefa, e não foram capazes de nos proteger”.

Biles, de 22 anos, engrossou a lista de ginastas que acusaram o médico da Federação de Ginástica de abuso sexual ao revelar o seu caso, através de uma declaração no Twitter, em Janeiro de 2018. No total, Nassar foi acusado de abusar de mais de 250 crianças e jovens durante o período que esteve ligado à federação, entre 1996 e 2015. O médico foi considerado culpado de recepção e posse de pornografia infantil, adulteração de provas e conduta sexual criminosa em primeiro grau, tendo recebido por parte do tribunal federal uma pena de 60 anos e do estadual de 40 a 175 anos.