Universidade de Varsóvia/Reuters
Foto
Universidade de Varsóvia/Reuters

Ideias com tecnologia do espaço? Esta escola de Verão pode ser para ti

A Portugal Space Summer School decorre em Coimbra e conta com a participação da Agência Espacial Portuguesa. O Instituto Pedro Nunes quer apoiar empreendedores portugueses em tecnologia aeroespacial. Candidaturas abertas até 31 de Agosto.

Já estão abertas as inscrições para a 5.ª edição da Portugal Space Summer School, uma escola de Verão em Coimbra dedicada ao espaço, que desafia empreendedores a criar serviços ou produtos inovadores que incorporem tecnologia espacial. A iniciativa é dinamizada pelo Instituto Pedro Nunes (IPN) e dirigida a estudantes do ensino superior, investigadores de entidades do Sistema Científico e Tecnológico Nacional e jovens empreendedores com interesse em explorar o potencial do espaço para criar negócio, em áreas como cidades inteligentes, transportes, saúde, agricultura, ambiente e mercado espacial comercial.

Apesar de existir um número limitado de participantes — entre 40 a 50 –, os interessados na Portugal Space Summer School, que acontece de 11 a 13 de Setembro, podem candidatar-se online até 31 de Agosto. Durante a escola de Verão serão apresentadas oportunidades nesta área, entre as quais o Programa Internacional de Lançamento de Satélites dos Açores, um programa que visa a instalação e a gestão de um porto espacial na ilha de Santa Maria, nos Açores.

Conversas temáticas, desafios para a criação de modelos de negócio, sessões de mentoria, pitch, visitas ao Observatório Astronómico e Geofísico da Universidade de Coimbra, observação nocturna dos astros, networking e sessões abertas com as pessoas-chave do sector espacial são algumas das actividades que os participantes podem realizar durante os três dias do evento.

Inscrições para a Portugal Space Summer School decorrem até 31 de Agosto

Inscrições para a Portugal Space Summer School decorrem até 31 de Agosto

Segundo Carlos Cerqueira, director de inovação do IPN, o objectivo é “dinamizar a chamada economia do espaço”. No fundo, está a ser criada “uma porta de entrada para quem depois quiser candidatar-se à Incubadora do Espaço ou desenvolver o seu negócio na área”, explicou o responsável ao P3.

Tendo como finalidade, a longo prazo, a criação de “uma escola internacional nesta área”, a iniciativa tem tido “um feedback muito positivo”, explicou Carlos Cerqueira, adiantando alguns dos temas que estarão em discussão: “as oportunidades que as tecnologias vão criar e que vão mudar a forma como nos relacionamos com uma série de coisas, a comunicação e as alterações climáticas”. Os participantes podem contar ainda com partilha de conhecimentos, o contacto com pessoas, entidades e empresas ligadas ao espaço, desafios para gerar ideias de negócio, experiências, brindes e prémios.