Twitter usou sem consentimento dados dos utilizadores para fins publicitários

Informação como o país e os anúncios vistos foi partilhada com outras empresas, mesmo nos casos em que contrariava as definições de privacidade.

Problema teve início em Maio de 2018
Foto
Problema teve início em Maio de 2018 Thomas White/Reuters

O Twitter informou ter usado inadvertidamente dados de alguns utilizadores para fins publicitários, o que implicou partilhá-los com outras empresas, mesmo quando não tinha sido dado consentimento para que a informação fosse usada.

Num texto publicado no site da rede social, o Twitter especifica que os dados foram partilhados desde Maio de 2018, até que o problema foi resolvido nesta segunda-feira.

A empresa explicou haver duas situações que afectaram a privacidade dos utilizadores. Num dos casos, o Twitter partilhou com anunciantes e com empresas de medição os dados de utilizadores que tinham visto ou interagido com anúncios na aplicação móvel. Isto poderá ter incluído informação como o país do utilizador, de que forma este interagiu com o anúncio e o anúncio em causa. Na outra situação, que teve início em Setembro de 2018, o Twitter diz que pode ter mostrado anúncios com base no dispositivo que os utilizadores tinham, mesmo que estes tivessem optado por não partilhar essa informação. Neste caso, a rede social ressalvou que os dados não saíram da empresa e que não esteve em causa informação como emails ou palavras-passe.

“No Twitter, queremos dar-vos controlo sobre os vossos dados, incluindo sobre quando partilhamos esses dados. É claro que essas opções só são boas se seguirmos as escolhas que vocês fizerem e recentemente encontrámos problemas, fazendo com que as definições escolhidas possam não ter funcionado como pretendido”, escreveu a empresa. “Ainda estamos a fazer a nossa investigação para determinar quem possa ter sido afectado, e se descobrirmos mais informação que seja útil, vamos partilhá-la.”

No segundo trimestre deste ano, o Twitter tinha 126 milhões de utilizadores diários capazes de representar receitas para a empresa. É uma métrica que não representa a totalidade dos utilizadores, mas que a rede social passou a privilegiar nas suas demonstrações de resultados. A empresa facturou cerca de três mil milhões de dólares, mais 25% do que nos mesmos meses de 2018. A publicidade foi responsável por 2,6 mil milhões de dólares de receitas.

O Twitter pediu ainda desculpas aos utilizadores: “Vocês confiam em nós para cumprirmos as vossas escolhas e aqui falhámos. Lamentos que isto tenha acontecido e estamos a tomar medidas para assegurar que não repetimos um erro deste género.”