Bancos recusam empréstimos a estudantes cujo fiador é o Estado

Risco e solvabilidade dos clientes são invocados pela banca para chumbar créditos. Linha de financiamento conta com fundos comunitários e Governo foi apanhado de surpresa.

Ensino superior
Foto
res rita chantre

Joana Martins tem 20 anos e é estudante de Enfermagem. Vive todos os dias com dificuldades para suportar os custos associados ao seu curso superior. “São os transportes, a alimentação, as propinas”, enumera. Por isso, quando no início do ano passado viu o anúncio da reabertura da linha de empréstimos bonificados para estudantes, financiada parcialmente por fundos comunitários e em que o Estado funciona como fiador, pensou que esse instrumento podia ser útil para chegar ao fim do curso com menos dificuldades no dia-a-dia. A realidade não era, contudo, aquela que esperava.