Jeane Alves, uma das cinco jóqueis brasileiras em acção

Amanda Perobelli/Reuters
Fotogaleria
Amanda Perobelli/Reuters

No Brasil, cinco jóqueis profissionais são mulheres. Num desporto dominado por homens, apenas duas profissionais competiram no Grande Prémio do país, em 2018. Jeane Alves, única atleta feminina da modalidade em São Paulo, foi uma delas. É também a primeira mulher a vencer a temporada (2016/2017) no Jockey Club de São Paulo.

Com 12 anos, Jeane, agora com 30, começou a participar nas "vaquejadas", no Ceará, actividade no Nordeste brasileiro em que dois cavaleiros tentam derrubar um boi, puxando-o pela cauda (e que, em 2016, chegou a ser proibida). Agora, a agência Reuters já a fotografou no desporto que sempre quis praticar, na cidade que escolheu para aprender e competir.  “Já enfrentei bastante preconceito"disse a atleta, em entrevista ao jornal brasileiro Estadão, em 2018. " Todos os dias acaba escutando alguma piadinha, mas actualmente é bem menos do que quando entrei. As meninas que já competiam antes sofreram mais do que eu. Agora, as mulheres estão a ganhar mais espaço — e competições."

Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters
Sugerir correcção