Como um robô combate a poluição no rio Vizela

O engenho investiga as condutas ligadas ao rio Vizela e já detetou poluição oriunda de 27 habitações desde que entrou em ação, em Março de 2018. A máquina faz parte do esforço da autarquia e da Vimágua para limparem os focos de contaminação na cidade. O presidente da Câmara culpou, porém, a Águas do Norte por descargas a montante da cidade e pediu acção ao Ministério do Ambiente.

Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
ADRIANO MIRANDA

Junto à saída de uma tubagem ligada ao rio Vizela, um técnico prepara um aparelho com rodas e sem mais de 30 centímetros de altura. Tal como acontece desde Março de 2018, esse robô voltou a percorrer as condutas nesta sexta-feira, para investigar possíveis focos de poluição e também as suas origens. “Na quinta-feira, verificámos, pelas características da água, que ela tinha cor. Hoje, isso não foi perceptível”, explicou João Andrade, sócio-gerente da empresa responsável pelas acções de fiscalização, no final.