Expulso de avião em Faro, Sá Pinto vai agir judicialmente contra Ryanair

Treinador do Sp. Braga ter-se-à desentendido com chefe de cabine da Ryanair. Clube minhoto critica postura “arrogante” do funcionário e garante que Ricardo Sá Pinto irá agir judicialmente.

Fotogaleria
Ricardo Sá Pinto, treinador do Sp. Braga LUSA/HUGO DELGADO
Ricardo Sá Pinto
Fotogaleria
GS GONCALO SANTOS
Licor
Fotogaleria
NFS - NUNO FERREIRA SANTOs
Fotogaleria
NFS - NUNO FERREIRA SANTOs
,Futebol
Fotogaleria
Reuters/VINCENT WEST
,Liga Profissional da Arábia Saudita
Fotogaleria
Reuters/ARND WIEGMANN
,Sporting CP
Fotogaleria
LUSA/HUGO DELGADO
,SC Braga
Fotogaleria
LUSA/HUGO DELGADO

Ricardo Sá Pinto foi expulso de um voo, esta sexta-feira, no aeroporto de Faro. A informação foi confirmada ao PÚBLICO por fonte da Polícia de Segurança Pública (PSP) de Faro. De acordo com a mesma fonte, a intervenção das autoridades foi solicitada pelo comandante da aeronave, com Sá Pinto a sair sem oferecer qualquer resistência. O treinador do Sp. Braga ter-se-á envolvido numa altercação com o chefe de cabine daquele voo da companhia aérea Ryanair. 

Num vídeo gravado no interior da aeronave que viajaria de Faro para o Porto, e que está a ser partilhado através das redes sociais, é visível a presença de três agentes da polícia. Sá Pinto, visivelmente incomodado, dirige-se aos passageiros, que aplaudem a expulsão do técnico “arsenalista”.

Outro vídeo mostra Ricardo Sá Pinto já fora do avião, a conversar com os agentes da autoridade. O PÚBLICO tentou contactar o Sp. Braga, mas não obteve resposta até ao momento de publicação desta notícia. O clube minhoto reagiu, entretanto, ao incidente. 

O antigo futebolista, em comunicado conjunto com o Sporting de Braga, condena a postura “arrogante” do funcionário da companhia low cost irlandesa e garante que “irá proceder judicialmente contra esta empresa e contra o aludido chefe de cabine pela actuação tida contra a sua pessoa”.

“Aquando da reserva do bilhete, procedeu à marcação do seu lugar na primeira fila do avião e pagou o respectivo valor pelo lugar especial. Tal reserva de lugar acontece pela impossibilidade de manter o joelho dobrado durante o tempo de voo, decorrente das graves lesões sofridas nos joelhos enquanto jogador de futebol. Tendo a perna esticada por força da sua limitação física foi-lhe ordenado pela assistente de bordo que dobrasse as suas pernas, tendo sido por ele explicado a impossibilidade de o fazer, razão pela qual adquiriu aquele lugar”, lê-se no comunicado, que indica ainda que, numa primeira ocasião, o chefe de cabina já tinha pedido a Ricardo Sá Pinto que este desligasse o telemóvel e os auriculares, instruções que o técnico "acatou de imediato”.

Sá Pinto lamenta que a tripulação não tenha compreendido o seu argumento e, que, por isso, “recusou iniciar o voo” com destino à cidade do Porto, “obrigando ao desembarque” do técnico.

“Bastante exaltado”

O treinador do Sporting de Braga foi identificado pela PSP, após esta ter sido chamada a um avião em Faro, devido a um alegado desentendimento com uma hospedeira, informou fonte desta força de segurança à agência Lusa.

“A PSP foi chamada pela tripulação de um avião porque havia um homem bastante exaltado com uma hospedeira”, disse à Lusa fonte da Direcção Nacional da PSP, referindo que esta força de segurança “desconhece os motivos da exaltação”.

Já na aeronave, que tinha como destino o Porto, os elementos da PSP pediram a Sá Pinto que os acompanhasse.

“Ele acompanhou e foi identificado na Divisão de Segurança Aeroportuária da PSP de Faro”, acrescentou a mesma fonte, referindo que Sá Pinto “não foi nem expulso nem detido”.

A PSP adiantou que o ex-futebolista “já não embarcou no avião” e esclareceu que, se houver queixa por parte da transportadora ou da hospedeira, a situação será comunicada ao Ministério Público.

Sugerir correcção