Agosto vai trazer o calor: saiba como se proteger

Agosto acaba de entrar em funções e muitos portugueses partem de férias, o que, este ano, parece coincidir com o facto de o sol, por fim, nos brindar com o seu calor. Para tirar o melhor proveito deste aliado, há que ter cuidados específicos, sobretudo numa altura em que o Índice Ultravioleta (IUV) está muito elevado em todo o país. Saiba como se proteger.

Fotogaleria
Nos próximos dias, o Índice Ultravioleta é "muito elevado" Bruno Simões Castanheira
de praia
Fotogaleria
A exposição ao sol é desaconselhada entre as 12h e as 16h Nelson Garrido

De norte a sul, Portugal está por estes dias, e pelo menos até domingo, sob um Índice Ultravioleta (IUV) “muito elevado”, entre os níveis 9 e 10 (a partir daqui passa a “extremo”), avisa o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O facto coincide com o arranque do mês em que muitos portugueses optam por tirar férias, a maioria tendo como destino as praias — quer as costeiras, quer as fluviais. E o desejo não é para menos. É que, depois de um início de Verão ameno, Agosto, embora longe dos habituais 40 graus à sombra, promete temperaturas em torno dos 30ºC, com os termómetros a irem mais acima em localidades como Beja, Bragança, Castelo Branco, Évora, Guarda, Portalegre e Santarém. 

Porém, nem tudo são rosas quando toca ao bom tempo e a exposição aos raios solares podem trazer dissabores, desde simples escaldões até à desidratação ou ao aumento do risco de melanoma maligno — em Portugal, todos os anos, são diagnosticados cerca de dez mil novos casos. Por isso, em qualquer actividade ao ar livre, é necessário tomar precauções.

Siga passo a passo os conselhos para se proteger do sol.

  • Reduza ao máximo as actividades ao ar livre entre as 12h e as 16h, preferindo o final do dia, quando o sol está a baixar
  • Use chapéu, roupa de cor clara e óculos escuros
  • Aplique protector solar, pelo menos, 30 minutos antes da chegada à praia, com um factor de protecção igual ou superior a 30. Reforce a aplicação à chegada e, posteriormente, de duas em duas horas – ou sempre após sair da água
  • Proteja o cabelo e os lábios com produtos específicos
  • Consuma regularmente frutas, legumes e muita água 

Caso, os conselhos tenham chegado tarde e a pele já apresente alguma vermelhidão, ainda que não esteja queimada a tal ponto de procurar umas urgências hospitalares, leia as dicas de como tratar uma insolação

  • Saia do sol
  • Não use outras roupas senão de algodão para cobrir as áreas afectadas
  • Procure arrefecer o corpo, recorrendo a toalhas húmidas, ou tome um duche suave com água quase fria 
  • Beba muita água e exclua as bebidas alcoólicas da dieta
  • O recurso a anti-inflamatórios, como o ibuprofeno, poderá revelar-se necessário – consulte o farmacêutico ou a linha de saúde (808 24 24 24)
  • Uma loção não perfumada à base de aloé vera pode ajudar a acalmar a irritação cutânea e contribuir para uma cicatrização mais célere

Com o calor poderão decorrer ainda outras complicações, explicadas pela Direcção-Geral de Saúde:

Cãibras

Podem acontecer pela simples exposição ao calor intenso, durante ou após actividade física intensa ou por uma hidratação inadequada. Os sintomas manifestam-se por espasmos musculares dolorosos.

O que fazer: parar a actividade física, se for o caso, e descanse num local fresco; estique os músculos e massaje-os suavemente; beba sumos de fruta natural sem adição de açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas). Procure ajuda médica se as cãibras persistirem.

Golpe de calor

É uma situação muito grave. Acontece quando o sistema de controlo da temperatura do corpo deixa de trabalhar. O corpo deixa de produzir suor e não arrefece. A temperatura corporal pode, em 10-15 minutos, atingir os 39ºC, provocando deficiências cerebrais ou até mesmo a morte se a pessoa não for socorrida rapidamente. Os sintomas incluem febre alta, pele vermelha, quente, seca e sem produção de suor, pulso rápido e forte, dor de cabeça, náuseas, tonturas, confusão e perda parcial ou total de consciência.

O que fazer: ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o corpo e arejar o ambiente à sua volta com uma ventoinha ou mesmo com um abanador. Se a pessoa não estiver consciente, não dê líquidos.

Esgotamento devido ao calor

Acontece quando o corpo perde muita água por causa da transpiração. Pode ser especialmente grave em idosos e pessoas com hipertensão arterial elevada. Os sintomas incluem sede intensa, suor excessivo, palidez, cãibras musculares, cansaço e fraqueza, dor de cabeça, náuseas, vómitos e desmaio. A temperatura do corpo pode estar normal, abaixo do normal ou ligeiramente acima do normal. As pulsações alternam entre lenta e rápida e a respiração fica rápida e superficial.

O que fazer: chamar de imediato um médico ou ligar para o número de emergência 112. Entretanto, deve seguir alguns procedimentos como: levar a pessoa para um local fresco ou para uma sala com ar condicionado; mantê-la deitada com as pernas levantadas; aplicar toalhas húmidas ou pulverizar água fria para arrefecer o seu corpo; dar a beber sumos de fruta natural sem açúcar e/ou bebidas contendo electrólitos (bebidas para desportistas), caso esteja consciente.