Incêndios: Combate a fogo no Fundão está a decorrer “favoravelmente”

O incêndio terá tido início às 15h05, naquela freguesia do distrito de Castelo Branco.

Foto
O Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco afirma que há algumas habitações dispersas em perigo Paulo Pimenta (arquivo)

Três centenas de operacionais e quase uma centena de meios terrestres combateram nesta sexta-feira um incêndio florestal na freguesia de Pêro Viseu, no Fundão, segundo o site da Protecção Civil. Chegaram a estar no local durante a tarde vários meios aéreos que foram entretanto desmobilizados ao cair da noite. Pelas 23h50 desta sexta-feira e segundo a página da Protecção Civil, o incêndio ainda estava em curso e mobilizava 316 operacionais e 94 meios terrestres.

Segundo disse à Lusa o comandante da Protecção Civil no teatro de operações pelas 20h, o combate ao incêndio está a decorrer “favoravelmente” e a expectativa é que possa estar dominado nas próximas horas.

“Em termos gerais, estamos a progredir e os trabalhos a decorrer muito favoravelmente. Pensamos nas próximas horas ter o incêndio como dominado, se as condições meteorológicas se mantiverem. Essa é a expectativa que temos”, afirmou, Amândio Nunes, segundo comandante operacional distrital de Castelo Branco, que está a comandar as operações no local.

Este responsável explicou ainda que o incêndio está dividido em três frentes, sendo que uma delas já está 50% dominada, outra a 70% e uma terceira começava, pelas 20h15, a ceder aos meios.

Presente junto ao posto de comando, localizado ao lado da Barragem da Capinha, o presidente da Câmara do Fundão, Paulo Fernandes, adivinha uma noite “muito difícil”, mesmo que o incêndio seja dominado dentro das próximas horas. “Esperamos que possa ser dominado nas próximas horas, mas perante o perímetro que o fogo já atingiu e o terreno em que estamos, com muitas casas nas zonas baixas, sabemos que vamos ter as próximas 24 horas muito difíceis”.

O autarca especificou que a primeira fase do fogo foi “extraordinariamente difícil e bastante arriscada” e que atingiu zonas mistas (agrícolas e de habitação) com várias casas na linha de fogo, que chegaram a estar em risco. “Neste momento já não temos casas em risco, mas nas primeiras três horas tivemos bastantes habitações na linha de fogo. Foi preciso uma intervenção desdobrada de socorro a dezenas e dezenas de casas, que estiveram em perigo”, apontou, especificando que o perímetro do fogo terá já cerca de 18 quilómetros.

O incêndio terá tido início às 15h05, naquela freguesia do distrito de Castelo Branco.