Há precários integrados no Estado impedidos de aderir à ADSE

Alerta partiu do Conselho Geral e de Supervisão que recomenda a abertura de um período excepcional de inscrição.

Foto
Andreia Carvalho

Há trabalhadores integrados nos serviços públicos no âmbito do Programa de Regularização de Vínculos Precários da Administração Pública (PREVPAP) que estão a ser impedidos de se inscrever na ADSE, por já ter passado o prazo de seis meses desde o início da sua relação laboral com o Estado. O alerta foi deixado pelo Conselho Geral e de Supervisão (CGS) da ADSE que, numa recomendação aprovada nesta quinta-feira, pede ao Governo a abertura de um período excepcional de quatro meses para que estas pessoas possam inscrever-se no sistema de assistência na doença da função pública.