EUA voltam a ser uma “terra de oportunidades” para a Brisa

Mercado americano tem um potencial de 50 a 100 milhões de euros nos próximos anos. Empresa portuguesa ganhou um contrato com um dos mais importantes operadores de auto-estradas do Estado do Illinois.

Rodovia de acesso controlado
Foto
Rita Baleia /Publico

Com a venda, no passado, das posições que teve no Brasil, nos Estados Unidos, na Índia e até na Holanda, a Brisa passou a estar muito focada no mercado português - onde tem uma posição dominante num mercado maduro, uma componente de custos estável e taxas de crescimento nas receitas, muito influenciada pelos níveis de tráfego que estão a subir. Assumiu-se, assim, como gestora de mobilidade e não de infra-estruturas, aumentou o seu esforço em inovação e desenvolvimento tecnológico, passou a apostar na sua relação com o cliente e o passageiro, e foi esse discurso que levou agora para os Estados Unidos da América.