NELSON GARRIDO / PUBLICO
Foto
NELSON GARRIDO / PUBLICO

O que queremos no Verão? Ar livre e cinema grátis, pela mão de cineclubes

De norte a sul do país, são muitos os cineclubes que durante o Verão planeiam sessões de cinema ao ar livre e de entrada gratuita ou simbólica. Nesta lista apresentamos alguns, mas há muito mais por onde escolher — e estamos abertos a sugestões.

Cineclube de Torres Novas

Prestes a completar 60 anos de existência, o Cineclube de Torres Novas foi criado com o propósito de “abrir as portas para a cultura” e de promover “encontros e debates entre jovens”. Organizando sessões de cinema ao ar livre há já vários anos na altura do Verão, o cineclube quis, este ano, “dirigir-se às crianças”, conta ao P3 Nuno Guedelha, presidente da direcção. Com efeito, a programação é dedicada aos mais novos, “promovendo-se o gosto pelo cinema fora de uma sala”. O Jardim das Rosas, em Torres Novas, é, portanto, palco de filmes como Ozzy, de Alberto Rodríguez, a 10 de Agosto; e Abelha Maia: Os Jogos do Mel, de Noel Cleary, Sergio Delfino e Alexs Stadermann, no dia 17. A entrada é gratuita. A primeira sessão, realizada a 20 de Julho, reuniu mais de 300 pessoas.

Abelha Maia: Os Jogos do Mel

Abelha Maia: Os Jogos do Mel

Cineclube Octopus, na Póvoa de Varzim

Fundado em 1983, o Cineclube Octopus está em actividade durante todo o ano, no Cineteatro Garrett, na Póvoa de Varzim, todas as quintas-feiras. No Verão, também promove sessões de cinema gratuitas ao ar livre, sendo que, este ano, há inclusive um cine-concerto especial, também ao ar livre, a 21 de Setembro, como forma de comemorar os 36 anos de actividade regular. Entretanto, no dia 6 de Agosto, exibe, no Jardim Casa Manuel Lopes, na Póvoa, o filme Os Combatentes, de Thomas Cailley. A Verdim, uma associação da Póvoa de Varzim criada por um grupo de amigos preocupados com o ambiente, está a organizar, em parceria com o Cineclube Octopus, o Verdoc, um ciclo de cinema ambiental de filmes documentais exibidos ao ar livre. No dia 30 de Julho, é exibido o filme Amanhã, de Cyril Dion e Mélanie Laurent, na Biblioteca de Jardim Casa Manuel Lopes; e no dia 3 de Agosto é a vez de The True Cost, de Andrew Morgan, na Fortaleza da Póvoa de Varzim. Após esta última sessão há uma conversa sobre o documentário com Helena Silva, do movimento Fashion Revolution, e Antónia Gomes, do projecto Branco Chá. De entrada gratuita, e com início às 21h30, as sessões têm como finalidade “despertar consciências na comunidade”, como explica Francisca Ferreira, umas das responsáveis da Verdim.

Amanhã

Amanhã

Cineclube de Joane, em Vila Nova de Famalicão

Em actividade desde Setembro de 1998, o Cineclube de Joane tem sessões semanais. A comemorar os 20 anos do Cinema Paraíso — nome do projecto que abrange as sessões de cinema ao ar livre — o cineclube “tem como grande ambição ser um projecto itinerante”. Em Famalicão, e segundo Vítor Ribeiro, programador e coordenador do cineclube, têm sido mais de mil as pessoas que costumam aparecer nestas sessões especiais. Este ano, a programação traduz-se num “cinema popular”, isto é, “um cinema capaz de comunicar com um público vasto”. De entrada gratuita, as sessões decorrem a partir das 22h, no Parque da Devesa: Uma Aventura do Outro Mundo, de Christoph Lauenstein, Wolfgang Lauenstein e Sean McCormack, tem data marcada para 7 de Agosto; O Carteiro de Pablo Neruda, de Michael Radford, é exibido no dia 14; e Ou Nadas ou Afundas, de Gilles Lellouche, pode ser visualizado no dia 21.

Uma Aventura do Outro Mundo

Uma Aventura do Outro Mundo

Cineclube de Tomar

O Cineclube de Tomar, uma associação sem fins lucrativos, surgiu em 2009 com o intuito de difundir a arte cinematográfica no concelho. A organização alicerça as suas actividades em sessões semanais de cinema, por norma às terças-feiras, às 19h, no Cineteatro Paraíso. Além disso, tem duas sessões de cinema infantil no terceiro sábado do mês. Tal como nos anos anteriores, serão realizadas sessões de cinema ao ar livre nas piscinas Vasco Jacob, às quartas-feiras à noite, a partir das 21h30. O ciclo inclui, por exemplo, a 2 de Agosto, o filme O Homem que Matou Liberty Valance, de John Ford. No dia 7 é tempo de Reviver o Passado em Montauk, um drama de Volker Schlöndorff. O Rei dos Gazeteiros, de John Hughes, encerra o ciclo, no dia 29. Enquanto, para crianças e sócios, a entrada custa um euro, os adultos pagam dois euros. A última sessão é de entrada livre.

Reviver O Passado Em Montauk

Reviver O Passado Em Montauk

Fila K Cineclube, em Coimbra

O Fila K Cineclube é uma associação sem fins lucrativos, que surgiu em Maio de 2002 através de um grupo de amigos que decidiu conceber “uma programação alternativa dentro dos cinemas comerciais que existiam”. Gonçalo Barros, programador do cineclube, diz ao P3 que, este ano, “enquanto o mês de Julho é dedicado à comédia, o mês de Agosto apresenta clássicos do cinema”, nomeadamente A Janela Indiscreta, de Alfred Hitchcock, no dia 20, e Piquenique, de Joshua Logan, no dia 27. De entrada gratuita para os sócios e com a entrada simbólica de um euro para a restante população, as sessões decorrem nos jardins do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, a partir das 21h40. Para o responsável, a grande finalidade da realização destas sessões é “incluir a comunidade local na programação dos filmes e na criação de dinâmicas culturais”.

Janela Indiscreta

Janela Indiscreta

Cineclube de Viseu

O Cineclube de Viseu surgiu em 1955, “pela necessidade de se ver filmes”. “Na altura”, esclarece ao P3 Rodrigo Francisco, da direcção, “os cineclubes eram das formas mais importantes para se aceder a objectos culturais que estavam proibidos”. Hoje em dia, considera, os cineclubes sabem adaptar-se e “ter papéis diferentes”, que “vão para além da exibição de filmes”. Exemplo disso são as sessões de cinema ao ar livre, em que por cá se apresenta “um cinema alternativo”, tendo como objectivo “atrair plateias de centenas de pessoas”. De entrada gratuita, todas as sessões têm início às 21h30 e “são dirigidas a um público muito abrangente”. O Carteiro de Pablo Neruda, de Michael Radford, será exibido já no dia 27 de Julho, no Largo do Rossio de Santa Comba Dão. Já o filme de animação Ernest & Celestine, de Benjamin Renner, Vincent Patar e Stéphane Aubier, terá lugar em Carregal do Sal, no Parque de Alzira Cláudio, no dia 1 de Agosto. Em Vila Nova de Paiva, a 8 de Agosto, no Jardim do Auditório Municipal Carlos Paredes, será exibido o filme As Férias do Sr. Hulot, de Jacques Tati.

O Carteiro

O Carteiro

Cineclube de Tavira

Para além das sessões regulares de cinema e de outras actividades paralelas, como a Oficina Internacional de Argumento e Cinema ou o Festival Internacional de Cinema e Literatura de Olhão, o Cineclube de Tavira, fundado em Abril de 1999, reserva, para o mês de Agosto, uma mostra de filmes ao ar livre. Com uma programação diversificada, e depois de já ter exibido alguns filmes em Julho, o ciclo de cinema regressa a 1 de Agosto, com o filme Burning, de Lee Chang-Dong, e encerra no dia 11 com a película A Portuguesa, obra que será apresentada pela própria realizadora, Rita Azevedo Gomes, e que é uma adaptação dos três contos que Robert Musil escreveu no livro Três Mulheres, em 1924. As sessões ao ar livre têm início às 21h30 e necessitam de inscrição prévia, que pode ser feita na página oficial do cineclube.

A Portuguesa

A Portuguesa

Cineclube de Faro

O Cineclube de Faro, fundado em 1956, apresenta-se como uma instituição de utilidade pública. A organização sem fins lucrativos tem 300 sócios e apresenta uma variedade de actividades: sessões de cinema regulares às terças-feiras, animação aos domingos para todos, ciclos especiais extensos comemorativos ou de homenagem e ciclos temáticos de debate com convidados. Para além disso, inclui mostras de cinema ao ar livre no Verão, abertas ao público em geral, a partir das 22h, nos claustros do Museu Municipal de Faro. No mês de Agosto destacam-se as exibições dos filmes Lady Bird, de Greta Gerwig, no dia 12, e Green Book – Um Guia para a Vida, de Peter Farrely, no dia 18.

Green Book – Um guia para a vida

Green Book – Um guia para a vida

Cineclube da Maia

Criado em Outubro de 2009, o Cineclube da Maia procurava, inicialmente, “dirigir as sessões de cinema a um público que não tem hábitos cinematográficos, a um público mais local”, como explica ao P3 André Prata, um dos responsáveis do cineclube. O Verão é dedicado às sessões de cinema ao ar livre, que são de entrada gratuita e que se realizam a partir das 22h. Decorrem no último fim-de-semana de Julho e no primeiro de Agosto e iniciam-se já no dia 26 de Julho, com a exibição do filme A Queda do Império Americano, de Denys Arcand. Que Horas Ela Volta?, de Anna Muylaert, é o filme que encerra o ciclo de cinema, no dia 3 de Agosto. Pelo meio há tempo para ver O Grande Ditador, de Charles Chaplin, no dia 27 de Julho.

O Grande Ditador

O Grande Ditador

Cineclube da Bairrada, em Anadia, Aveiro

Nasceu há oito meses, mas é o primeiro cineclube a desenvolver sessões de cinema ao ar livre em várias localidades da região. Para Artur Castro, da organização, “um dos objectivos da criação do Cineclube da Bairrada foi tentar diversificar a oferta cinematográfica”. De entrada gratuita e “aproveitando o Verão”, serão apresentadas três curtas-metragens já no dia 26 de Julho, visando a divulgação do cinema e da cultura na região da Bairrada. A Instalação do Medo, de Ricardo Leite, Bílis Negra, de Nuno Sá Pessoa, e Ao Telefone com Deus, de Vera Casaca, são as três curtas de jovens autores portugueses que serão exibidas na Rodoviária, em Anadia.

Cineclube de Guimarães

Fundado em 1958, o Cineclube de Guimarães veio atender a uma necessidade objectiva em termos de cultura cinematográfica da cidade de Guimarães e respectivo concelho. Paralelamente ao crescimento da actividade, também o número de associados tem vindo a aumentar ao longo do tempo de forma sustentada: dos 500 sócios em 1985 aos cerca de 1000 sócios em 2016. A 31.ª edição de Cinema em Noites de Verão, que conta, este ano, com um novo projector digital de cinema, vai decorrer de 7 a 29 de Agosto, no Largo da Oliveira. Bohemian Rhapsody, de Bryan Singer, Toy Story 4, de Josh Cooley, e Novos Amigos Improváveis, de Neil Burger, são alguns dos filmes em exibição nas sessões de cinema ao ar livre do cineclube, a partir das 22 horas, nos dias 8, 13 e 27, respectivamente.

7ª SENA – Núcleo Cinéfilo Seia, no distrito da Guarda

A criação do Núcleo Cinéfilo de Seia, denominado 7.ª Sena, entidade independente integrada na Associação de Arte e Imagem de Seia, foi estimulada por Mário Jorge Branquinho, director do Cine-eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, que é realizado anualmente naquela cidade do distrito da Guarda. Fundado em 2015, o cineclube pretende contribuir para a divulgação cinematográfica junto da comunidade, alargando e diversificando a oferta cultural na região. Assim, criou também o projecto Itinerante, que se tem desenvolvido nos últimos anos durante o Verão. Comemorando o 130.º aniversário do nascimento de Charlie Chaplin, o Itinerante vai percorrer cinco localidades do concelho de Seia, com sessões em locais emblemáticos. Uma vez que são aldeias muito dispersas, será exibido apenas o filme Tempos Modernos, de Charlie Chaplin. De entre os locais escolhidos para as sessões de cinema ao ar livre no concelho de Seia, que têm início às 21h30, destaque para as freguesias de Santiago, já no dia 2 de Agosto, e de Travancinha, no dia 3. Seguem-se Paranhos da Beira, a 9, Pinhanços, no dia 10, e Vasco Esteves de Cima, a 24. 

Tempos Modernos, de Charlie Chaplin

Tempos Modernos, de Charlie Chaplin

Cineclube do Porto

O Clube Português de Cinematografia – Cineclube do Porto foi fundado em 1945, por Hipólito Duarte. Com actividade regular, exibe sessões de cinema duas vezes por semana na Casa das Artes e organiza regularmente sessões especiais, filmes concerto, oficinas, exposições e publicações. Este ano, as sessões de cinema ao ar livre – As Noites de Boris – decorrem, pela primeira vez, nos Jardins da Casa das Artes, a partir das 22 horas. A partir de 7 de Agosto e em todas as quartas-feiras do mês, será exibida uma selecção de curtas-metragens. A iniciativa inicia-se com o Best of Curtas, uma selecção das melhores obras exibidas na 27,ª edição do Festival Internacional de Cinema de Vila do Conde. Na semana seguinte, é tempo de algumas curtas-metragens de realizadores com ligações à cidade do Porto, destacando a estreia na cidade do filme Flutuar, do portuense Artur Serra Araújo. Na quarta-feira, 21, é tempo do Beast Warm Up, uma antevisão do Festival Internacional de Cinema da Europa de Leste, que se realizará de 28 de Setembro a 6 de Outubro. No dia 28, a programação está entregue à Casa da Animação, com o cinema de animação. De entre as curtas em exibição, destaque para Purpleboy, de Alexandra Siqueira, no dia 7, e De onde os pássaros vêem a cidade, de André Tentugal, no dia 14.

De onde os pássaros vêem a cidade, de André Tentugal

De onde os pássaros vêem a cidade, de André Tentugal