Caraíbas

Esta ilha das Bahamas era um terreno industrial. Agora vai ser um paraíso

Ocean Cay está em reconstrução para tornar-se uma ilha exclusiva para passageiros de cruzeiros da MSC. É inaugurada em Novembro.

Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DRDR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay
Fotogaleria
DR/Projecto Ocean Cay

A quatro meses da primeira viagem de turistas à ilha, que se pretende paradisíaca, de Ocean Cay, localizada nas Bahamas, a companhia de cruzeiros MSC, quer ainda plantar árvores, construir cabanas e afinar os planos de actividades diurnas e nocturnas. Criada com base num compromisso de conservação dos recursos marinhos existentes –– uma das prioridades é a recuperação dos corais –– a ilha está praticamente a ser construída de raiz. Desde a forma como os locais foram construídos até ao modo como a ilha é gerida e atendendo às actividades disponibilizadas, tudo em Ocean Cay, garante a MSC, pretende ser ecológico.

Parte da cadeia de ilhas de Bimini, nas Bahamas Ocidentais, a pouco mais de 100km quilómetros da costa de Miami, na Flórida, a Ocean Cay é uma ilha artificial criada nos anos de 1960 e um antigo local industrial de extracção de areia e de mineração de aragonite. A ilha, terreno industrial contaminado, teve de ser alvo de um profundo processo de limpeza antes de começar a ser reinventada em forma de paraíso.

PÚBLICO - Foram plantadas 22 espécies de plantas naturais das Caraíbas
Foram plantadas 22 espécies de plantas naturais das Caraíbas DR
PÚBLICO - A ilha possui 165 quilómetros quadrados de reserva de marinha protegida
A ilha possui 165 quilómetros quadrados de reserva de marinha protegida DR
Fotogaleria
DR

Para criar a “nova” ilha, com 48 hectares, rodeada por uma reserva marinha de 165 km2 e quatro ilhotas mais pequenas, foi necessário remover, entre outros lixos, cerca de 7500 toneladas de sucata metálica. A transformação, iniciada em Janeiro de 2017, passou também pela plantação de mais de 75 mil plantas e arbustos e 4600 árvores, incluindo 22 espécies naturais das Caraíbas. Objectivo: criar biodiversidade e um ambiente sustentável. Tendo uma equipa de biólogos marinhos à disposição para monitorizar o ecossistema, a ilha está rodeada por seis “praias de areia branca, águas azuis e uma exuberante vegetação”, segundo um comunicado enviado à Fugas. A praia que chama mais as atenções é a Great Lagoon Beach, numa baía no centro da ilha.

Será também construído na ilha um centro de conservação científica, equipado com laboratórios e instalações para pesquisa e estudo sobre corais, que irá servir como como instalação para biólogos e especialistas em restauro de recifes de corais. Para já, foram pesquisadas, garante a equipa da MSC responsável pelo projecto, 816 colónias de coral e realizados sete estudos em recifes.

PÚBLICO -
Foto
A ilha em obras Conrad Schutt

Para além de praias, pode visitar-se, em Ocean Cay, um farol com 30 metros de altura, que serve de ponto de referência e que inclui um terraço para admirar o mar, beber um cocktail, desfrutar de música ao vivo ou assistir a um espectáculo de luzes. Um restaurante buffet que disponibiliza refeições frescas de várias cozinhas tradicionais e internacionais – denominado Seakers Food Court – e uma loja de gelados e café são apenas algumas das atracções da ilha.

A partir de Novembro deste ano, todos os navios da MSC Cruzeiros com partida de Miami farão escala na Ocean Cay como parte dos seus itinerários nas Caraíbas. Em Portugal, a MSC Cruzeiros já está a promover viagens com passagem pela ilha. A inauguração está marcada para 8 de Novembro. A empresa tem um site exclusivamente dedicado à ilha e está também a realizar um documentário sobre todo o projecto de recuperação.

O custo total do projecto de transformação de Ocean Cay deverá ficar-se por mais de 269 milhões de euros, segundo revelou esta segunda-feira em Nassau (a capital das Bahamas) o presidente executivo da MSC, Pierfrancesco Vago, noticia o jornal local The Nassau Guardian. Espera-se que mais de meio milhão de pessoas visitem anualmente a ilha.