Ex-rei da Malásia duvida que seja pai do filho de dois meses

O advogado de Mohamed V confirmou a separação do monarca e da russa Rihana Oksana Voevodina.

,Yang di-Pertuan Agong
Foto
Mohamed V abdicou do trono em Janeiro deste ano Reuters/ Edgar Su

Poucos dias depois da confirmação do divórcio entre Mohamed V de Kelantan, rei da Malásia até Janeiro passado, e a ex-modelo russa Rihana Oksana Voevodina, o advogado do monarca pôs em causa que o filho em comum do ex-casal seja, de facto, filho de Mohamed V.

Em declarações ao jornal de Singapura, The Strait Times, o representante de Mohamed V, Koh Tien Hua explica que o divórcio foi consumado de acordo com o direito islâmico, a sharia, seguindo o procedimento com a presença de duas testemunhas muçulmanas.

Quem não esteve presente foi a russa, que garantiu ao jornal malaio Malaysiakini que continuava casada com o monarca. Contudo, Koh Tien Hua desmentiu a ex-modelo, garantindo que foi “informada do divórcio irrevogável a 22 de Junho, através dos seus advogados”. O advogado disse ainda que “não há evidências objectivas de quem é o pai biológico da criança”, um menino de dois meses chamado Ismail Leon. Esta afirmação pode ser o motivo real do divórcio, sete meses depois do casamento.

O enlace do monarca com a ex-modelo foi uma surpresa, em Novembro, porque não foi na Malásia e a união deu-se com uma mulher até então desconhecida no país. Voevodina tem 25 anos, foi Miss Moscovo em 2015, e participou num reality show onde foi filmada a ter relações sexuais. A mulher converteu-se ao islão, tendo adoptado o nome muçulmano de Rihana.