PS volta a apostar em Alexandre Quintanilha para a lista do Porto

Maria Rosário Gamboa vai em segundo lugar, posição que em 2015 foi ocupada pelo actual secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro.

Alexandre Quintanilha na apresentação dos candidatos pelo cículo eleitoral do Porto, em 2015
Foto
Alexandre Quintanilha na apresentação dos candidatos pelo cículo eleitoral do Porto, em 2015 NFACTOS / FERNANDO VELUDO

António Costa volta a escolher Alexandre Quintanilha para liderar a lista do PS pelo Porto. A comissão política distrital do PS reúne-se esta sexta-feira para aprovar a lista e o professor universitário jubilado vai manter-se como pivot da candidatura socialista pelo Porto. Maria Rosário Gamboa, ex-presidente do Instituto Politécnico do Porto, irá em segundo lugar, revelou o Jornal de Notícias, à frente do ministro do Ambiente e Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, um nome que muitos socialistas gostariam de ver a liderar a lista.

Fonte do PS confidenciou ao PÚBLICO que “seria muito difícil a António Costa tirar Alexandre Quintanilha de cabeça de lista porque o próprio deu sinais de que gostaria de ficar no Parlamento. Alexandre Quintanilha é professor universitário jubilado e, se não fosse em primeiro lugar, seria visto como uma despromoção”. Ao manter Quintanilha em primeiro lugar, o PS tenta preservar o ministro que, numa entrevista ao Expresso, em Novembro de 2018, não rejeitou a ideia de se candidatar à presidência da Câmara do Porto, sendo que assume que, se tal vier a acontecer, “será sempre dentro de uma lista do PS”. Ora, esse passo já foi dado. Em plena pré-campanha para as legislativas, Matos Fernandes filiou-se no PS com a bênção de António Costa e com isso ganhou peso no partido.

Outro governante certo na lista do Porto é José Luís Carneiro. O actual secretário de Estado das Comunidades, que há quatro anos foi número dois, deverá ocupar o quinto lugar na lista de deputados à Assembleia da República. Garantida está a ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, que em 2015 surgiu em nono lugar. O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, pode voltar a integra a lista pelo Porto, tal como a secretária de Estado da Administração Interna, Isabel Oneto, e o deputado, João Paulo Correia, estes últimos indicados pela concelhia do PS de Vila Nova de Gaia. João Torres, secretário de Estado do Consumidor, e o deputado Tiago Barbosa Ribeiro têm também lugar na lista. O presidente da Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, Pedro Bacelar de Vasconcelos, deverá entrar pela lista do Porto pela quota nacional.

O ex-chefe de gabinete de Pedro Nuno Santos, Nuno Araújo, administrador da APDL e presidente da concelhia do PS de Penafiel, é um nome garantido para deputado. Hugo Carvalho, de Lousada, volta a constar da lista e a concelhia de Amarante exige um lugar elegível.

Apesar de haver muitos nomes conhecidos, a lista do PS Porto vai ter alguns rostos novos, já que há vários deputados de saída, como Renato Sampaio. “Estes vinte anos foram de grande exaltação dos quais guardo o orgulho de ter tido a oportunidade de servir o meu país e o meu partido e a convicção de ter dado o meu melhor no exercício dos meus mandatos”, afirma Renato Sampaio numa nota enviada ao PÚBLICO.

O ex-secretário de Estado da Administração Interna, e actual deputado do PS Jorge Gomes, volta a liderar a lista às legislativas pelo círculo de Bragança. Jorge Gomes é o presidente da federação do PS de Bragança e membro do secretariado nacional do partido. Foi secretário de Estado da Administração Interna até à remodelação governamental que se seguiu aos incêndios de 2017.