Espaço

Não é uma mancha solar, é a Estação Espacial Internacional

A imagem astronómica de 15 de Julho, escolhida diariamente pela Nasa, é uma combinação de fotografias que mostra um Sol livre de manchas solares — e a Estação Espacial Internacional a passar no momento certo.
Foto
Rainee Colacurcio

Não é incomum a Estação Espacial Internacional (ISS), que dá uma volta à Terra a cada 90 minutos, passar pelo Sol. “Mas alguém conseguir alinhar o seu equipamento fotográfico no momento certo para fazer uma imagem tão boa, isso sim, é raro”, lê-se no site onde a Nasa e a Universidade de Michingan distinguem uma imagem ligada à Astronomia por dia.

Atingiu o seu limite de artigos

A liberdade precisa do jornalismo. Precisa da sua escolha.

Não deixe que as grandes questões da sociedade portuguesa lhe passem ao lado. Registe-se e aceda a mais artigos ou assine e tenha o PÚBLICO todo, com um pagamento mensal. Pense bem, pense Público.

A de Rainee Colarcurcio, publicada a 15 de Julho, é impressionante — não só por apanhar a ISS em frente ao Sol, mas também porque não se vê "uma única mancha solar", escrevem. “As manchas solares têm uma mancha central escura, uma sombra mais clara e não têm painéis solares”, brinca o astrónomo responsável pelo texto que explica a imagem. 

A fotógrafa publicou várias imagens onde se vê a Estação Espacial Internacional sobreposta em vários pontos da superfície solar, enquanto orbitava a Terra.

Para conseguir esta imagem, Colarcucio combinou duas fotografias tiradas na praia de Edmonds, em Washington: uma que mostra a ISS a passar pelo Sol e outra que capturou os detalhes da superfície solar. As manchas solares têm sido raras devido a um período de actividade solar extremamente baixa. Esta quinta-feira, 18 de Julho, o Sol também não apresenta manchas solares, que podem atingir o tamanho de seis Terras.